SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 29 de setembro de 2013

COM QUANTAS CABEÇAS SE FAZ UMA ORQUESTRA?

O que antes era 'Coutto Orchestra de Cabeça' virou apenas 'Coutto Orchestra', para apresentar o álbum de estréia, 'Eletro FUN Farra', cheio de novidades sonoras.



A banda surgiu da cabeça de Alisson Coutto, por causa dos samples e das peças fundamentais que foram se encaixando e orbitando ao redor – como Rafael Ramos (baixo e teclados), Fabinho Espinhaço (bateria) e Vinícius Bigjohn (acordeon e teclados), que junto a Alisson (trombone e samples) formam a 'Coutto Orchestra'.

O som que eles fazem mistura elementos da música latina com a do nordeste e inclui as batidas eletrônicas nesse mesmo caldeirão. O novo álbum, 'Eletro FUN Farra' foi recém-lançado e chega como uma procissão, romaria, bloco ou cortejo.

Que abre com 'Ladeira', funcionando como uma overture ou introdução ao percurso que a banda apresenta. 'Corre' vem em seguida puxando o cordão de foliões, que ainda não haviam aderido às batidas.

Depois seguem as canções com nomes de mulheres; 'Forbelle', um xote dos balcãs; 'Cordélia', um tango sensorial; 'Juanita', uma cumbia espacial; 'Flor', de volta ao leste europeu e 'Loretta e Boutique', uma milonga em xaxado.

'Routine' tem uma bela melodia para deixar qualquer um assobiando. Os barulhinhos ao fundo intrigam mais que perturbam e demonstram claramente, que a vida é cheia de ruídos sonoros.

'Quadrinharia' segue a mesma linha milongueira com xaxado e serve para dar passagem ao encerramento do 'Eletro FUN Farra', como fosse mesmo um bloco de rua, com a oração a 'Dorival Caymmi'.

Alisson Coutto conversou comigo por e-mail e respondeu algumas questões primordiais para sabermos quem é ele e o que pretende daqui pra frente.


De onde surgiu a ideia para a 'Orchestra de Cabeça'?

A 'Orchestra de Cabeça' surge no momento em que não possuia banda, apenas eu (Alisson Coutto) produzia as músicas em estúdio e junto com aparatos eletrônicos construía minha banda, minha 'Orchestra de Cabeça'.

Hoje somos um quarteto, e ao lançar o 'Eletro FUN' Farra decidimos retirar o nome “de Cabeça” e assumirmos apenas o nome 'Coutto Orchestra', pois vimos mais que nunca conseguimos sair de um projeto imaginário, hoje nos identificamos como banda, montamos nossa micro-big-band, nossa pequena Orquestra.

Como surgem as canções? O que vem primeiro, o ritmo ou a melodia?

As canções sempre surgem a partir de algum estimulo visual ou histórias que ouvimos em relatos, que se transformam muitas vezes em trilhas sonoras, outras, em canções quase sem palavras. Geralmente o conto vem antes da melodia, e quase sempre por último, mas não menos importante, o ritmo.

Nas composições da 'Orchestra' sempre buscamos fundir elementos daqui (nordestinos e prioritáriamente sergipanos) com os demais ritmos da aldeia global. Ao compor não nos preocupamos em seguir uma forma ou rítmica obrigatória, o que buscamos a risca é apenas comunicar sensações imagéticas por meio de quase nada, geralmente expressadas em melodias curtas e repetitivas em um caldeirão sonoro. A silhueta no lugar da imagem.

Vocês participaram de vários festivais e feiras musicais... Como foi a experiência?

A cada evento que temos a oportunidade de viajar, a banda consegue se renovar, oxigenar a pluralidade que buscamos no nosso som, é impressionante como em nossas viagens conseguimos (re)avaliar os elementos estéticos, sonoros, que compõem o nosso trabalho.

De onde veio o investimento para gravar os EPs? ...e este álbum? 

O investimento para este disco e os anteriores partem de recursos próprios. Através dos cachês, venda de discos, dentre outros produtos geramos os recursos para a produção do nosso material de trabalho.


Como vocês lidam com os downloads gratuitos?

Para nós que somos uma banda ainda pouco conhecida, o download gratuito é algo muito positivo e porque não dizer necessário. Disponiblizar gratuitamente para que as pessoas conheçam nosso trabalho é uma das nossas principais ferramentas de promoção que temos.

Vivemos em um local fora dos grandes circuitos e na medida que conseguimos propagar nosso som para uma quantidade mais ampla de pessoas (e isso o download gratuito permite bem) facilita nossa circulação.

Apesar de disponibilizarmos de forma gratuita para download, as pessoas sempre compram muitos discos nos shows que realizamos, isso nos faz acreditar que disponibilizar o disco para download funciona muito mais como um bom “cartão de visita” , ele ajuda a impulsionar nosso trabalho.

Vejo fortes influencias de ritmos latinos... Quem mais influenciou vocês?

Nós como músicos tivemos a oportunidade de tocar individualmente em bandas dos mais diversos estilos, o que nos possibilitou uma boa vivência e a oportunidade de apreciarmos a música global de forma ampla, especialmente a música latina.

O folclore sergipano, o forró e ritmos latinos como o tango e a cumbia, são elementos presentes em grande parte das composições do 'Eletro FUN Farra', entretanto, não fazemos esforços para que esta valorização local soe aparente, ela vem de forma natural orgânica, não há intenção de preservação, bandeira ou até mesmo resgate desta latinidade. Somos latinos de ouvidos e olhos abertos aos sons e rumores do mapa global. Isso é o que buscamos e nos influencia cada vez mais.

Quais são os planos da banda?

Após o lançamento do disco, estaremos entrando na turnê 'Eletro FUN Farra' e na produção do nosso primeiro video-clipe.

A turnê começa a partir do dia 18 de outubro, quando lançamos nosso disco em formato físico, na cidade de Aracaju e partimos inicialmente para shows em Brasília (DF), Macapá (AP), Olinda (PE) e demais regiões do Nordeste.

2013 Eletro FUN Farra

1. Ladeira
2. Corre
3. Forbelle
4. Cordélia
5. Juanita
6. Flor
7. Routine
8. Loretta e Boutique
9. Quadrinharia
10. Dorival Caymmi



Nenhum comentário: