domingo, 15 de setembro de 2013

TEMPO ILUSÃO DE RODRIGO BEZERRA

Jovem guitarrista e produtor apresenta álbum cheio de grandes canções e interpretações próprias, que vão do jazz ao samba.  


Rodrigo Bezerra é o produtor e diretor artístico do álbum de estréia de Ellen Oléria, 'Peça' de 2009, além de tocar guitarra nas apresentações ao vivo. Bezerra sempre deu mostras de enorme talento ao simplesmente deixar brilhar e florecer a cantora, que hoje é unanimidade nacional. Reza a lenda que o bom guitarrista no jazz é aquele que não aparece, mas quando deixa de tocar todos sentem sua falta. Rodrigo rezava a cartilha com maestria, enquanto acompanhava Ellen, mas agora aparece como um furacão no seu segundo álbum solo, 'Tempo Ilusão', o primeiro no qual também canta.

Uma estréia pungente e singela num disco de rara beleza, que não é apenas uma obra de jazz, mas um compêndio de belas composições, orquestradas com maestria por Rodrigo Bezerra, que apresenta canções autorais, num disco sóbrio e maduro, que abre com a faixa título. 'Tempo ilusão', um jazz-fusion com tempero brasileiro, com solo de guitarra de Pedro Martins. 'Circular' traz o violão de Bezerra pontuando o ritmo, quebrado apenas pelo solo de teclado de Felipe Viegas, que participa de todas canções.

O dedilhado delicado do violão de Bezerra evoca esperança em 'Esperar' pelo amanhecer, pelo novo amor, por mais sorte, por mais força e por todas aquelas utras pequenas coisas que devemos todos esperar. 'A criança' segue a mesma linha melódica da faixa anterior. 'Além de acordes' é um samba-jazz pontuado pelas baquetas de Renato Galvão e trompete de Westonny Rodrigues, com letra e vocais de Ana Reis.

'Trilhos' é uma canção suave e delicada, que segue crescendo até o final. 'Bandeiras, pra quê?' traz participação de Bruno Patrício na flauta – que também toca saxofone em outras faixas – e reflete sobre as questões de fronteiras universais. 'O homem formiga' segue marchando na melodia intimista, seguida pela balada do violão de Bezerra e do piano de Viegas, 'Mais é menos'.

'Celebrar' encerra o álbum em alto astral com os sopros de Rodrigues e Patrício, a bateria de Galvão, teclados de Viegas, sem falar no violão, guitarra e voz de Rodrigo Bezerra. Uma estréia grandiosa para um jovem cantor, que já tem muita experiência como guitarrista, arranjador e produtor.

2013 Tempo Ilusão

1. Tempo ilusão
2. Circular
3. Esperar
4. A criança
5. Além de acordes
6. Trilhos
7. Bandeiras, pra quê?
8. O homem formiga
9. Mais é menos
10. Celebrar

Nenhum comentário: