domingo, 28 de outubro de 2012

A LEVADA INFLAMAVEL DE SONIC JUNIOR

Sonic Junior é o alter ego de Juninho, músico de performance energética e 'inflamável', como a primeira faixa do mais recente lançamento, o álbum 'Inspire'. 

Com perdão do "trocadalho do carilho", o disco do Sonic Junior é inspirador. A mistura da percussão orgânica com as batidas eletrônicas, sempre colocam a pista abaixo, com uma levada pulsante e vibrante. 

Um som imperdível! E o melhor de tudo é que outros dois discos do Sonic Junior, também estão disponíveis para download gratuito. Então não perca tempo e coloque na cesta…. 

2012 Inspire

1. Inflamável
2. Quero saber quem eu sou
3. Inspire
4. Eu vou te encontrar
5. Sei
6. Slider
7. Quintal
8. Faroeste

ABAIXAR

sábado, 20 de outubro de 2012

CANIBAL AMABIS DEVORAR-TE-EI

O novo álbum de Gui Amabis, 'Trabalhos Carnívoros', segue uma linha melódica parecida com o anterior, 'Memórias Luso-Africanas'.

São cançôes melancólicas, recheadas de programações eletrônicas e teclados de Amabis e uma competente banda formada por Regis Damasceno no baixo e guitarra, Dustan Gallas na guitarra e Samuel Fraga na bateria, com participaçôes de Dengue (baixo), Pupilo (bateria), Thiago França (saxofone), Fernanda Monteiro (cello), Luca Raele (teclado) e Rica Amabis (programaçâo).

O disco abre com a faixa que dá título a obra, 'Trabalhos carnívoros`, bela cançâo com letra insólita e "erótica" com uma guitarra suja no final, no melhor estilo Spaceman.  'Merece quem aceita` brinca com o conceito do dito popular de quem "veste a carapuça que lhe serve". 'Tiro' poderia muito bem ser um reggae e entrar no repertório de qualquer disco da esposa de Gui, se não fosse o contraponto entre a guitarra psicodélica de Regis com a delicadeza do violoncelo de Fernanda. 

'Pena mais que perfeita' é quase um bolero com arranjo suave. 'Deus e seu guardião' foi composta em parceria com o irmão Rica e tem auxílio luxuoso de Pupillo e Luca. 'Crepúsculo' apresenta uma batida mais ritmada, mais ainda assim segue com leveza, que é quebrada com 'Consulta mental', com participação de Dengue. 'Um bom filme' mostra o sopro onipresente de Thiago e guitarra característica de Regis. 

'Menino horrível' é um encerramento delicado, que marca o encontro da guitarra de Damasceno com a voz de Amabis. Quem curte a banda desse guitarrista vai adorar todos arranjos elétricos desse álbum coerente e forte. Um disco que funciona como um canibal de alma, que vai capturar a áurea de qualquer ouvinte que ousar banquetear-se com esse som.

2012 Trabalhos Carnívoros

1. Trabalhos carnívoros
2. Merece quem aceita
3. Tiro
4. Pena mais que perfeita
5. Deus e seu guardião
6. Crepúsculo
7. Consulta final
8. Pausa
9. Um bom filme
10. Menino horrível

domingo, 14 de outubro de 2012

ABAYOMY AFROBEAT ORQUESTRA É COISA NOSSA!!!


Abayomy significa “encontro feliz” em Yorubá, palavra que traduz bem o clima da banda. Todos amigos, que se divertem bastante tocando juntos.

A banda conta com Vitinho Gottardi na guitarra, que também toca com Claudio Fantinato (percussão), Leandro Joaquim (trompete) e Pedro Dantas (baixo) na banda Sobrado 112. A banda também tem Thomas Harres, que também toca bateria com o Letuce, Gustavo Benjão guitarra no Do Amor, Donatinho nos teclados, Rodrigo La Rosa e Alexandre Garnizé nas percussões, Marco Serragrande no trombone, Thiago Queiroz no saxofone barítono , Mônica Ávila no alto e Fábio Lima no tenor.

Todos se juntaram para tocar em homenagem ao nigeriano Fela Kuti, no famoso Fela Day no Rio. O próprio Vitinho explica quando e como isso aconteceu.

“A Abayomy surgiu no dia 15 de outubro de 2009, quando nos juntamos para tocar no primeiro Fela Day no Rio. Fela Day é um evento que rola em várias cidades do mundo, e que celebra o aniversário do Fela Kuti, um dos criadores do Afrobeat” – junto com o Tony Allen, com quem a banda gravou neste ano (visto no vídeo acima comparticipação do BNegão no vocal, cantando Jorge Benjor). “Montamos uma banda pra tocar somente nesse dia, mas foi tão legal que sentimos necessidade de continuar com o projeto, e a partir daí começamos a tocar pela cidade e a compor”, complementa Vitinho.

Foram inúmeros shows entre eixo Rio e São Paulo, tanto que a banda pegou experiência e refinou o próprio repertório, como bem lembra Gottardi. Neste domingo, a banda toca novamente no Fela Day 2012, no Rio.


“Naturalmente, uma banda tocando afrobeat acaba mesclando umas coisas. Procuramos sempre não ficarmos presos somente no afrobeat. A gente mistura com funk e com candomblé. Só de não estarmos na Nigéria e estarmos no Brasil já tem musica brasileira na mistura”, ressalta.

O processo de gravação deste primeiro álbum foi bem rápido. “Fechamos o estúdio ‘Companhia dos Técnicos’, aqui no RJ, por quatro dias inteiros. Como já estávamos muito ensaiados e a ideia era gravar ao vivo”, completa.

Eles chamaram o André Abujamra para produzir, o que se provou fundamental para o aperfeiçoamento do som da banda. “O André Abujamra foi essencial, e nos ajudou muito. Ele chegou no segundo dia, mas já estava acompanhando os ensaios com as gravações que mandávamos , e chegou bem por dentro de tudo”, enfatiza .

A banda ocupou todo o estúdio, com cada integrante numa salinha própria, a fim de gravar o som ao vivo, sem vazar no microfone do próximo – “exceto batera e percussão, que dividiram a mesma sala”, diz Vitinho.

“O Abu pedia pra ficarmos tocando a base e ia falando com um por um, acertando os detalhes do groove. Aí cada um ia limpando seu som, e isso realmente fez muita diferença. O Cara é um mestre, tem um ouvido muito bom, ouvia os sopros da técnica e detectava qualquer erro de primeira. Ele fez um trabalho maravilhoso e virou nosso amigo”, encerra ele.

Juntos, eles entraram num site de financiamento colaborativo, o Embolacha, e lograram finalizar o projeto. Para eles, essas iniciativas funcionam muito bem se os próprios músicos possuem uma rede de seguidores fieis, tudo junto com uma boa divulgação nas redes sociais.

“Se você divulga bem, as pessoas ajudam. Isso é o futuro”, finaliza Gottardi.

2012 Abayomy

1. Eru
2. Malunguinho
3. Obatalá
4. Emi yaba
5. Afrodisíaco
6. No shit

ABAIXAR

domingo, 7 de outubro de 2012

O LABIRINTO LÍQUIDO DE CESAR DE PAULA LTDA

Faz tempo que o professor, filósofo e sociólogo Cesar de Paula, trabalha neste registro ao vivo, seja na produção, gravação e finalização desta obra, que chega agora para download gratuito pelo site do próprio mestre. 

Cheio de grandes participações, com a galera que faz parte do Projecto S.A., que além do próprio Cesar de Paula nos vocais e violões, tem Marcelo Abreu na bateria, Hamilton Pinheiro no baixo, Natan Soares na guitarra, Beto Almeida nos teclados e Léo Barbosa e Ismael Rattis nas percussões. 

Além das vozes de apoio de Yara Veratto e Larissa Vitorino e do saxofone de Raildo Ratho, do trompete de Argemiro Júnior e do trombone de Adil Silva. Este álbum ao vivo tem Flora Matos rimando em ‘Afrobrasileiro’ e Rafa Black e Rimador Israel em ‘Ô minha nega’. Com produção e arranjos de Hamilton Pinheiro, Natan Soares e do próprio Cesar de Paula.

2012 Labirinto Líquido

1. Labirinto intro
2. Malandragem brasileira
3. Ô minha nega
4. Sambeat
5. A morena chegou pra abalar
6. Imagens
7. O bug do milênio
8. Afrobrasileiro
9. Sambeleza
10. Recôncavo
11. Falta d’água
12. Olho do sertão
13. Boca da mata
14. Parabólicas do universo
15. Labirinto líquido

ABAIXAR