domingo, 27 de fevereiro de 2011

ACORDEM!!! TODOS VOCÊS!!!

Depois de tantas listas dos melhores do ano etc e tal, resolvi também postar o que acho serem “osuprasumo” da música gringa, principalmente da norte-americana.

O primeiro álbum foi lançado no primeiro semestre do ano passado (2010), com a banda ‘The Roots’, criada por Black Thought e ?uestlove. Os caras arrebentaram no ano passado, lançando um disco enxuto e recheado de grooves incríveis.

Este é o nono álbum do ‘The Roots’, que atualmente é a banda de apoio do programa de entrevistas da NBC, ‘Late Night with Jimmy Fallon’. Teria sido minha escolha de melhor disco ‘gringo’ do ano, se não fosse outro lançamento...




2010 How I Got Over - The Roots

1. A peace of light (ft. Amber Coffman, Angel Deradoorian & Haley Dekle)
2. Walk alone (ft. Truck North, P.O.R.N. & Dice Raw)
3. Dear god 2.0 (ft. Monsters of Folk)
4. Radio daze (ft. Blu, P.O.R.N. & Dice Raw)
5. Now or never (ft. Phonte & Dice Raw)
6. How I got over (ft. Dice Raw)
7. DillaTUDE: The flight of Titus
8. The day (ft. Blu, Phonte & Patty Crash)
9. Right on (ft. Joanna Newsom & STS)
10. Doin’ it again (ft. John Legend)
11. The fire (ft. John Legend)
12. Tunnel vision
13. Web 20/20 (ft. Peedi Peedi & Truck North)
14. Hustla (ft. STS)

Abaixar

Claro que no final do ano o “soulman” da cena atual norte-americana John Legend, se uniu com a banda ‘The Roots’. Aconteceu que durante o pleito eleitoral – do qual Barack Obama concorreu à Presidência dos Estados Unidos – Legend e o ‘The Roots’ se juntaram para participar da campanha em prol do primeiro negro na Presidência do país. Nesses shows eles emulavam o passado e reapresentavam clássicos da “soul music” norte-americana.

Tudo isso foi apenas uma faísca que culminou no disco ‘Wake Up!’ dividido por Legend e ‘The Roots’, com inúmeras participações especiais. O disco em si já nasceu clássico, mas desde a escolha do repertório, as participações, bem como a produção bem cuidada e os arranjos sofisticados fizeram desse disco um petardo essencial do ano de 2010.

Seria minha escolha de melhor do ano – caso fizesse uma lista nesse sentido – enquanto o álbum do ‘The Roots’ viria logo em seguida.




2010 Wake Up! - John Legend & The Roots

1. Hard times (ft. Black Thought)
2. Compared to what
3. Wake up!
4. Our generation (The hope of the world) (ft. CL Smooth)
5. Little ghetto boy (Prelude) (ft. Malik Yusef)
6. Little ghetto boy (ft. Black Thought)
7. Hang on in there
8. Humanity (Love the way it should be)
9. Wholy holy
10. I can't write left handed
11. I wish I knew how it would feel to be free
12. Shine
13. Shine (Waiting for Superman version)
14. Wake up everybody (live in studio performance)

Abaixar

Para finalizar de vez essa história do ‘Wake Up!’ e da banda ‘The Roots’ e do John Legend, eles venceram o 53rd Grammy Awards nas categorias de “Rythm & Blues” de melhor performance vocal tradicional em ‘Hang on in there’, melhor canção para ‘Shine’ e ‘Wake up’ e melhor álbum “R&B”, para ‘Wake Up!’.

Na semana anterior à premiação, o rapper e produtor J. Period, lançou uma versão do ‘Wake Up!’ remixado, re-editado e reimaginado... O ‘Wake Up! Radio’ é como uma continuação do álbum de John Legend e ‘The Roots’.

Um verdadeiro tributo aos grandes artistas da “soul music”, como James Brown, Sam Cooke, Aretha Franklin, Isaac Hayes, Roy Ayers e Nina Simone, com participações especiais de gente como Rakim, Q-Tip, Common, Posdnuos, Pete Rock, CL Smooth, Kanye West, Blu, Nneka e K’naan.




2011 Wake Up! Radio - J. Period, John Legend & The Roots

1. Prologue: Inner city blues (ft. Black Thought & John Legend)
2. Rise & shine (ft. Black Thought, Blu & John Legend)
3. Wake up! Radio (Interlude) (ft. Black Thought)
4. Hard times (J.Period remix) (ft. Black Thought, John Legend & Dead Prez)
5. Dolla out a dime (Interlude) (ft. James Brown)
6. In the ghetto (Wake up!) (ft. Black Thought, Rakin & John Legend)
7. Little ghetto boy (J.Period remix) (ft. Q-Tip, Black Thought & John Legend)
8. We love roll call (Interlude) (ft. Nina Simone)
9. Misunderstood (ft. Common)
10. Message in our music (Interlude) (ft. Common & Mary J. Blige)
11. Eleanor Rigby (Interlude)
12. Dillanor Rigby (J.Period remix) (ft. Blu, Porn, Black Thought & John Legend)
13. The wake up! players band (Interlude) (ft. Questlove)
14. Compared to what (Interlude) (ft. Roberta Flack)
15. Compared to what (J.Period remix) (ft. John Legend)
16. Pain & inspiration (Interlude) (ft. John Legend & Nina Simone)
17. Strange fruit (remix) (ft. Common, John Legend & Nina Simone)
18. Who’s gonna take the weight (Interlude)
19. Walk on (J.Period remix) (ft. Black Thought & Isaac Hayes)
20. Could the drummer have some (Interlude)
21. In the park (J.Period remix) (ft. Black Thought)
22. Our generation (Interlude) (ft. Ernie Hines)
23. Our generation (J.Period remix) (ft. John Legend, Pete Rock & CL Smooth)
24. Give me that message (Interlude) (ft. Sam Cooke)
25. Hang on in there (J.Period remix) (ft. Black Thought & John Legend)
26. The love doctor (Interlude) (ft. Jimmy Fallon)
27. Love the way it should be (J.Period Remix) (ft. Nneka)
28. Hey love (Interlude) (ft. Posdnuos, Jimmy Fallon, Kanye West & K’Naan)
29. Ease my troubling mind (Interlude) (ft. Sam Cooke)
30. People get ready (J.Period Remix) (ft. Aretha Franklin)
31. Wake Up! radio sign-off (Outro)
32. Epilogue wake up, everybody! (ft. Mayda del Valle)

Abaixar
ou
Abaixar do site oficial

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Timeless: The composer & arranger series

Timeless é projeto da Mochila, dos diretores Eric Coleman e Brian Cross (também conhecido como B+), que contém três filmes sobre distintos artistas influentes na música, Arthur Verocai, representando o Brasil, J. Dilla dos Estados Unidos, e Mulato Astatke da Etiópia.

Os três filmes foram exibidos nas últimas semanas de fevereiro, com a presença dos diretores, em São Paulo e Rio de Janeiro. Quem assistiu pôde conferir a influente arte do maestro brasileiro Arthur Verocai, do mestre do ethio-jazz Mulato Astatke e do rapper e produtor norte-americano J. Dilla. Todos filmes foram filmados durante apresentações ao vivo dos respectivos artistas.



A primeira gravação foi feita no show do grande músico etíope, Mulato Astatke, que praticamente inventou o ethio-jazz. Mulato foi acompanhado por membros de bandas de jazz da cena de Los Angeles, entre eles Bennie Maupin, Azar Lawrence e Phil Ranelin.



A segunda apresentação foi com uma orquestra de 60 músicos, comandada pelo maestro Miguel Atwood-Ferguson, que homenageou o produtor e rapper norte –americano J. Dilla. Os espetáculos contaram com participações especiais, entre elas a do baterista Karriem Riggins, Posdnuos, Talib Kweli, Illa J e Bilal.



O terceiro evento foi registrado com a orquestra de Arthur Verocai, junto com outros 35 grandes músicos brasileiros, entre eles Mamão na bateria, Carlos Dafé nos vocais e Airto Moreira na percussão. Tocando ao vivo uma releitura do disco lançado por Verocai em 1972.

Agora, resta esperar que os respectivos shows venham ao Brasil.

2009 Timeless: Mulato Astatke

1. Yekermo sèw
2. The radcliffe
3. I faram gami
4. Yèkatit
5. Kasaléfkut hulu
6. Mulatu
7. Munayé
8. Yègellé tezeta
9. Ebo lala

Abaixar

2009 Timeless: Dilla/ Suite for Ma Dukes

1. Morning order
2. Antiquity
3. Le yatching
4. Untitled/ Fantastic
5. Welcome 2 Detroit
6. Gobstopper
7. Take notice
8. Affolements granitiques
9. Don't nobody care about us
10. Jealousy
11. Hot ‘N’ pucky
12. Angel
13. Reminisce
14. Stakes is high
15. Fall in love

Abaixar

2009 Timeless: Arthur Verocai

1. Karina
2. Sylvia
3. Dedicada a ela
4. Velho parente
5. Presente grego
6. O mapa
7. Pelas sombras
8. Caboclo
9. Seriado
10. Filhos
11. Queimadas
12. Balada 45
13. Sucuri
14. Flying to L.A.
15. O tempo e o vento
16. Isabel
17. Bis
18. Na boca do sol

Abaixar

domingo, 13 de fevereiro de 2011

CAIXA PRETA, O PROJETO ITAMAR

Obrigado Serena e Anelis Assumpção. Por lançarem a caixa preta de Itamar Assumpção. Quem não sabe, essa caixa preta tem toda discografia do Itamar, remasterizada (só lembrando que as versões aqui abaixo não são as versões remasterizadas da caixa preta – portanto se você quiser as versões remasterizadas de todos os discos, deve comprar a caixa preta).

Obrigado também por darem continuidade à trilogia ‘Pretobrás’, iniciada em 1998 – no que se tornou o último disco do Itamar lançado em vida (o álbum em parceria com Naná Vasconcelos foi póstumo). Obrigado por dois discos inéditos do Itamar.

O primeiro ‘Pretobrás - Porque Eu Não Pensei Nisso Antes’ foi lançado pelo próprio Itamar, em vida. Sua idéia era preparar mais dois discos e formar uma trilogia, mas não teve tempo, apesar de deixar muito material gravado.

Em ‘Pretobrás II - Maldito Vírgula’ a produção ficou a cargo de Beto Villares e tem participação de gente como Arnaldo Antunes, B. Negão, Pupillo, Curumin, Thalma de Freitas, Kiko Dinucci, Marcelo Jeneci, Elza Soares, entre outros.

Já o último exemplar foi ‘Pretobrás III - Devia ser Proibido’ com produção de Paulo Lepetit e participação de Ney Matogrosso, Zélia Duncan e da banda que acompanhou Itamar durante muitos anos, a ‘Isca de Polícia’. Enquanto esse volume (III) é o mais próximo de toda discografia de Itamar, o volume II é mais popular e pode ser uma boa pedida para todos aqueles que não conhecem a obra desse grande artista.

Por isso eu agradeço profundamente a iniciativa de Serena e Anelis, filhas de Itamar Assumpção, por terem reunido a obra do pai em formato digno do grande artista que ele é.

1980 Beleléu Leléu Eu (& Isca de Polícia)

1. Vinheta I
2. Luzia
3. Fon fin fan fin fun
4. Fico louco
5. Aranha
6. Se eu fiz tudo
7. Vinheta II
8. Vinheta III
9. Baby
10. Embalos
11. Nega música
12. Beijo na boca
13. Nego Dito

Abaixar

1983 Às Próprias Custas S.A. (& Isca de Polícia)

1. Negra melodia
2. Você está sumindo
3. Vide verso meu endereço
4. Fico louco
5. Noite de terror
6. Oh! maldição
7. Amanticida
8. Batuque
9. Peço perdão
10. Que barato
11. Denúncia dos Santos Silva Beleléu

Abaixar

1986 Sampa Midnignt - Isso Não Vai Ficar Assim

1. Prezadíssimos ouvintes
2. Idéia fixa
3. Navalha na liga
4. Movido a água
5. Desapareça Eunice
6. Tete tentei
7. Vamos nessa
8. Eldorado
9. Sampa midnight
10. Isso não vai ficar assim
11. Z da questão meu amor
12. Totalmente à revelia
13. Cadê Inês
14. Chavão abre porta grande
15. É o Quico

Abaixar

1988 Intercontinental! (& Isca de Polícia)

1. Sutil
2. Adeus Pantanal
3. Pesquisa de mercado I
4. Oferenda
5. Sexto sentido
6. Pesquisa de mercado II
7. Ouça-me
8. Maremoto
9. Não há saídas
10. Mal menor
11. Zé Pelintra
12. Perdidos nas estrelas
13. Parece que foi ontem
14. Homem-mulher
15. Ausência
16. Filho de Santa Maria
17. Pesquisa de mercado III
18. Espírito que canta

Abaixar

1993 Bicho de 7 Cabeças (& As Orquideas do Brasil)

1. Sujeito a chuvas e trovoadas
2. Venha até São Paulo
3. Custa nada sonhar
4. Quem é cover de quem?
5. Noite torta
6. Balaio
7. Vou tirar você do dicionário
8. Logo que eu acordo
9. Orquídeas
10. Se a obra é a soma das penas
11. Quem descobriu, descobriu
12. É tanta água
13. Sonhei que viajava com você
14. Me basta
15. Nobody knows
16. Penso logo sinto
17. Enquanto penso nela

Abaixar

1993 Bicho de 7 Cabeças Vol.II (& As Orquideas do Brasil)

1. In the morning
2. Milágrimas
3. Ciúme do perfume
4. Coração absurdo
5. Tristes trópicos
6. Estropício
7. Quem canta seus males espanta
8. Tua boca
9. Lambuzada de dendê
10. Ei você aí
11. Aí que vontade
12. Onda sertaneja
13. Santo de casa
14. Vê se me esquece
15. Parece que bebe
16. Bicho de sete cabeças

Abaixar

1993 Bicho de 7 Cabeças Vol.III (& As Orquideas do Brasil)

1. Estropício
2. Quem canta seus males espanta
3. Tua boca
4. Lambuzada de dendê
5. Ei você aí
6. Aí que vontade
7. Onda sertaneja
8. Santo de casa
9. Vê se me esquece
10. Parece que bebe
11. Bicho de sete cabeças

Abaixar

1996 Ataulfo Alves por Itamar Assumpção (Pra Sempre Agora)

1. Meus tempos de criança
2. Saudades da Amélia
3. Bom crioulo
4. Requebro da mulata
5. Mulata assanhada
6. Laranja madura
7. Pois é
8. Vai mesmo
9. O homem e o cão
10. Errei sim
11. Errei erramos
12. Sei que é covardia
13. Atire a primeira pedra
14. Nem que chova canivete
15. Na cadência do samba
16. Jubileu
17. Bonde São Januário
18. Gente bem também samba
19. Leva meu samba
20. Vassalo do samba

Abaixar

1998 Pretobrás - Porque Eu Não Pensei Nisso Antes

1. Cultura Lira paulistana
2. Abobrinhas não
3. Vá cuidar da sua vida
4. Pretobrás
5. Extraordinário
6. Vida de artista
7. Dor elegante
8. Pöltinglen
9. Vou de vai-vai
10. Por que eu não pensei nisso antes
11. Apaixonite aguda

Abaixar

2004 Isso Vai Dar Repercussão (& Naná Vasconcelos)

1. Leonor
2. Cabelo duro
3. Próxima encarnação
4. Fim de festa
5. Justo você Berenice
6. Aculturado
7. Assim Naná ensina

Abaixar

2010 Pretobrás II - Maldito Vírgula

1. Maldito vírgula
2. Samba enredo
3. Je t'aime mais que o Jerome
4. O tempo todo
5. Todo esse tempo I
6. Todo esse tempo II
7. Ir pra Berlim
8. Procurei
9. Más línguas
10. Breu da noite
11. Os incomodados que se mudem
12. Agora é que são elas
13. Longe demim
14. Elza Soares

Abaixar

2010 Pretobrás III - Devia ser Proibido

1. Anteontem (melô da UTI)
2. Eu tenho medo
3. Grude
4. Devaneio
5. Devia ser proibido
6. Persigo São Paulo
7. Pirex
8. Fundamental
9. Ninguém como você
10. Variações
11. Ciúme doentio
12. Enquanto uns ficam falando
13.Visita suicida
14. Que tal o impossível
15. Os incomodados que se mudem

Abaixar

domingo, 6 de fevereiro de 2011

OS ALQUIMISTAS ESTÃO CHEGANDO OS ALQUIMISTAS




Venho por meio desta postagem, aderir à campanha do ‘Queremos’, que é juntar fãs que gostariam de assistir Jorge Benjor tocando ao vivo o clássico ‘A Tábua de Esmeralda’.

Diz a lenda, que o disco foi executado ao vivo na integra naquela época, nos idos de 1974. Por isso mesmo, essa nova geração quer ouvir esse disco ao vivo também... Muita gente já aderiu a esta campanha. O EuOvo agora também é um adepto!

O disco ‘A Tábua de Esmeralda’ é um clássico na discografia de Jorge Benjor, da época em que ele ainda era conhecido apenas como Jorge Ben. Esse petardo foi criado numa fase de iluminação e alquimia, e foi o último em que Benjor tocou exclusivamente violão.

Pode-se dizer que é um disco conceito de Benjor, já que ele se baseou nos textos do faraó Hermes Trismegisto – esse texto deu origem a toda alquimia e ocultismo ocidental e oriental e além de ser conhecido como ‘Tábua de Esmeralda’ é também chamado de ‘O Segredo de Hermes’. Esses escritos foram encontrados na pirâmide de Gizé – numa lâmina de esmeralda grafada com uma ponta de diamante – e foram depois traduzidos pelo alquimista contemporâneo Fulcanelli.

Jorge Benjor começa o disco com uma homenagem a todos alquimistas herméticos com ‘Os alquimistas estão chegando’. “Tem que dançar dançando e gravar gravando”. ‘O homem da gravata florida” é uma homenagem ao suíço Paracelso, que além de um famoso alquimista, foi um médico, físico e astrólogo. Essa canção foi forte influência para Fred 04, principalmente na ‘O rapaz do b... preto’ do Mundo Livre SA.

‘Errare humanum est’ é baseada no livro de Erich Von Däniken, ‘Eram os Deuses Astronautas’ e tem um arranjo cheio de efeitos espaciais, criando um clima especial. Já ‘Menina mulher da pele preta’ é mais uma do cancioneiro clássico de Jorge Benjor, que fala do cotidiano e sobre amores, malícia, malemolência da mulher etc. Assim como as faixas, ‘Eu vou torcer’ que Benjor vibra pela paz, moças bonitas, pelo mengão, e até por São Tomaz de Aquino, ‘Magnólia’ que exalta a beleza dessa fêmea em questão, ‘Minha teimosia, uma arma pra te conquistar’que comenta a difícil arte do flerte.

“Zumbi é o senhor das guerras, é o senhor das demandas, quando Zumbi chega é ele quem manda”, já entoavam B. Negão e Marcelo D2 em ‘Dig dig dig (hempa)’ do ‘Planet Hemp’. A escravidão é o tema de ‘Zumbi’ – que usa a figura do mártir da causa negra – foi a primeira versão dessa canção, que seria regravada quatro anos depois no álbum ‘África Brasil’.

‘Brother’ poderia ter sido cantada pelo vozeirão do Tim Maia. É um soul gospel com suingue samba-rock em exaltação ao ‘Jesus Lord Christ’. ‘O namorado da viúva’ tem o violão batidão característico de Jorge Benjor, para descrever o caso de amor entre um jovem e uma viúva fogosa. “Queeeee viúva é essaaaaa”...

Em ‘Hermes Trismegisto e sua celeste Tábua de Esmeralda’ Benjor declama o texto completo escrito pelo faraó, que também foi regravada no álbum ‘África Brasil’. ‘5 minutos’ fecha o disco com uma belíssima melodia, que até foi cantada por Marisa Monte no álbum ‘Memórias Crônicas e Declarações de Amor’. A canção é mais um relato do cotidiano – como sempre faz Jorge Benjor.

‘A Tábua de Esmeralda’ é um clássico da música popular brasileira – imprescindível em qualquer discoteca. Assistir esse show ao vivo seria uma dádiva. Que somente o Benjor pode conceder... Salve Jorge!

1974 A Tábua de Esmeralda

1. Os alquimistas estão chegando
2. O homem da gravata florida
3. Errare humanum est
4. Menina mulher da pele preta
5. Eu vou torcer
6. Magnólia
7. Minha teimosia, uma arma pra te conquistar
8. Zumbi
9. Brother
10. O namorado da viúva
11. Hermes Trismegisto e sua celeste Tábua de Esmeralda
12. 5 minutos

Abaixar

Em tempo... Essa campanha para o Benjor tocar o ‘A Tábua de Esmeralda’ ao vivo teve origem na cabeça do colega jornalista, Bruno Natal, que também é responsável pelo Urbe, d’O Esquema.

Natal, junto com Tiago Lins, Felipe Continentino, Pedro Seiler, Pedro Garcia e Lucas Bori são o site 'Queremos', que levou o conceito do “crowdsourcing” (ou “crowdfunding”) para a cidade maravilhosa. Esse negócio funciona como a famosa “vaquinha”, um grupo de pessoas se junta para viabilizar uma projeção de cinema entre amigos – nesse caso um show de música... Ou vários...

Com essa idéia, o ‘Queremos’ já trouxe shows de ‘Miike Snow’, ‘Belle and Sebastian’ e Mayer Hawthorne, ‘Vampire Weekend’, ‘LCD Soundsystem’, entre outros. Primeiro o site investiga o valor necessário para viabilizar o espetáculo em pauta e depois estabelecem as cotas para cada apoiador, que contribui com o valor e pode até receber o valor de volta, caso os ingressos vendidos cubram todo investimento.

Depois de tantos shows internacionais, o ‘Queremos’ resolveu cutucar Jorge Benjor – através de uma página no Facebook – com a possibilidade da realização desse espetáculo para as novas gerações que não viram o ‘A Tábua de Esmeralda’ ao vivo.

Vários artistas já gravaram depoimento na página, como Lucas Santtana, B. Negão, Pitty, Tulipa e Gustavo Ruiz, Pupillo (do Nação Zumbi), Chiquinho (do Mombojó), EMICIDA, Nina Becker, BiD, André Gonzales (do Móveis Coloniais de Acaju), Marcelinho da Lua, Curumin etc.

____________________________________________________

EM OUTRO TEMPO...

Depois de tanta comoção e tantos artistas aderirem à campanha... Jorge Benjor aderiu também - pois além de comentar no twitter, ele também concordou em tocar o disco 'A Tábua de Esmeralda' ao vivo no violão... Não tem nenhuma data marcada, por enquanto, mas ele já avisou que está ensaiando.