SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 30 de dezembro de 2012

MIRANDO O ALTO, RINDO E PREPARANDO O SALTO

Uma das primeiras postagens do ano, foi o álbum 'Avante' de Siba, e o texto foi escrito pelo próprio autor – fazendo dele o primeiro a escrever neste blog – por isso, deixo-me com uma nobre justificativa para repostar conteúdo.

O disco do Siba foi o melhor do ano – não pelo fato de ter sido inovador ou revolucionário, pois foi exatamente o contrário – mas pelo fato de ter sido extremamente popular. O álbum é tradicional, no sentido de que ele continua utilizando dos elementos que permearam toda sua discografia, desde o 'Mestre Ambrósio' às parcerias com Barachinha e com a 'Fuloresta do Samba. Siba transformou o som característico da zona da mata pernambucana em música pop, com arranjos enxutos e coesos, enaltecendo as rimas e histórias narradas pelas letras.

'Preparando o salto' abre o disco com propriedade de uma bela canção pop, entoada com maestria pelo cantor pernambucano. “Não vejo nada que não tenha desabado, nem mesmo entendo como estou de pé”, narra Siba, como um renascimento. Siba apresenta uma analogia à lenda de Ícaro e sua utilização das guitarras, no lugar de rabecas e violas.

A banda que acompanhou a gravação contou com uma formação simples, com Siba na voz, guitarra e viola, Leo Gervázio na tuba, Samuel Fraga na bateria e Antônio Loureiro no vibrafone e teclados, e ainda a excelência da produção de Fernando Catatau. A segunda faixa, 'Brisa' enaltece o vento, quase como uma versão moderna de Dorival Caymmi, com Siba cantando, “a brisa por ser carinhosa é quem mais tem castigado”.

“Ronca o céu, treme a terra, abala o norte. Se esparrama uma sombra sobre o sul. São o sonho e a noite irmãos da morte. Só sobrou nós dois num manto azul”, cita Siba, criando uma mitologia própria em 'Ariana'. Em 'Cantando ciranda na beira do mar', Siba conduz o ouvinte através de imagens oníricas, numa melodia épica e deslumbrante.

'A bagaceira' já havia sido gravada com a 'Fuloresta...' – assim como 'Çanoa furada' – mas ambas parecem ter recebido versão definitiva valorizando a letra ritimada e bem humorada, que relata uma tarde de carnaval e uma pescaria mal-sucedida, respectivamente. 'Mute' é um pequeno interlúdio, que funciona como introdução à 'Um verso preso', com participação de Lirinha.

Siba voltou-se para a guitarra, após ter abandonado o instrumento na adolescência, para dedicar-se à rabeca e viola. Segundo ele, foi preciso reaprender a mecânica da eletricidade, mas Siba criou um estilo próprio ao dedilhar do instrumento – reconhecível nos primeiros acordes, o que é muito raro no caso dos guitarristas. O peso nas melodias apareceu naturalmente, como bem exemplificado em 'Avante', pontuada por um riff potente, com um duelo entre o vibrafone e a guitarra.

Siba apresenta uma poética volta ao passado em 'Qasida', “Não adianta tirar de onde não tem, nem tentar encaixar onde não cabe. Sem saber alguém tenta, e quando sabe, já não dá nem um passo mais além. Pois de trás para frente nada vem, o que foi já não é e nem será e da frente pra trás, ninguém irá desfazer o que fez, certo ou errado”, ressalta Siba. A canção tem a guitarra especialíssima de Catatau.

'Bravura e brilho' é uma canção de ninar feita para o filho. O disco todo é permeado pelo sentimento da paternidade do autor, que dedica a canção e todo o álbum para o filho – que também aparece na capa junto com o pai, num momento de ternura e afeto.

'Avante' é uma peça de beleza única, que transporta todo o cancioneiro de Siba, relacionado com as canções da zona da mata, para o universo pop de canções de rádio.

2012 Avante

1. Preparando o salto
2. Brisa
3. Ariana
4. Cantando ciranda na beira do mar
5. A bagaceira
6. A canoa furada
7. Mute
8. Um verso preso
9. Avante
10. Qasida
11. Bravura e brilho

Um comentário:

Gabriel de Matos disse...

Avante realmente é de uma riqueza singular... Para mim também foi o melhor do ano e é Siba em seu melhor momento! Um disco, acima de tudo, verdadeiro. Concordo muito, Ovo. Mandou bem...