SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 1 de agosto de 2010

O SOM E O BALANÇO EM SI...MONAL

A carreira de Wilson Simonal decolou no início dos anos 60. Ele foi o maior cantor do Brasil nessa década. Mas sua carreira esmoreceu nos meados da década seguinte.

Tudo por causa de uns boatos envolvendo seu nome, coisa que nem vale a pena mencionar. Porque essa história também quase pôs fim em sua vida. Mas o cara lutou bravamente contra todo mundo e renasceu das cinzas, com coletânias, DVDs, box de CDs (com a extensa discografia), documentário no cinema (Ninguém sabe o duro que dei) – mais infelizmente, ele não estava vivo para ver tudo isso.

Apesar de ter lutado bravamente até o fim, Simonal definhou vagarosamente, por causa do preconceito que a mídia havia colado em Si...monal. O cartun de Henfil, no Pasquim – que fazia a grosseria de sugerir que somente após o suicido é que Simonal voltaria a receber os aplausos do público – transformou-se em realidade, numa terrível ironia. Mesmo assim, Simonal brilhou na sua última gravação, no cd 'Casa da Bossa' com a participação de Sandra Sá, onde ele comandou o público mais uma vez, enquanto problemas técnicos atrasavam a gravação ao vivo.

Por isso eu preferi trazer um artigo do colega Mário Prata, em favor do cantor e sobre a necessidade de anistiarem o Simonal. Tomei a liberdade de encurtar o texto para adequa-lo à postagem do blogui.

O brasileiro adora esquecer e/ou perdoar. O Collor, por exemplo, fez o que fez e acho que já foi perdoado. [...] O Jânio que, com a sua renúncia, em 61, levou o Brasil a mais de trinta anos de incertezas e atrasos, foi depois perdoado e os paulistanos o colocaram na cadeira de prefeito que deveria ter sido de FHC. [...] O Zico, que perdeu aquele pênalti contra a França na Copa de 86 já foi perdoado. Até mesmo o Joaquim Silvério dos Reis, hoje em dia é apenas mero tema para vestibulandos.[...] São todos brancos. Uns, bandidos. Outros, como o Zico, brasileiros da maior dignidade. Mas todos, brasileiros brancos.

Toda essa introdução acima é para falar do Wilson Simonal. Você sabe quem foi (ou quem é) Wilson Simonal? Um dos mais queridos e requisitados cantores dos anos 60. Bonachão, cheio de swing, uma voz afinadíssima, com uma inteligência rápida e rara no programa ‘Essa Noite se Improvisa’, brilhava ao lado de Chico, Caetano, Carlos Imperial, Gil, Roberto Carlos, Jair Rodrigues, Ellis. Um dia ele fez o Maracanãzinho cantar com ele, durante mais de meia hora, o ‘Meu limão, meu limoeiro’. Quem não se lembra dele cantando ‘Sá Marina’? Naquele tempo o Brasil, na voz do Simona era mesmo Um País Tropical.

Pois um dia o falecido jornal ‘O Pasquim’ (onde tive a honra de trabalhar em 72 e 73), há já distantes vinte e cinco anos, disse, em letras garrafais, na primeira página, que o Simonal era dedo-duro. Que ele teria entregue um ex-funcionário para "os homens". Pudera: um crioulinho daquele, com um dos maiores contratos publicitários da época - com a Shell, multinacional do imperialismo! - andando pra cima e pra baixo numa Mercedes branca com estofamento vermelho, boa coisa não podia ser. A esquerda caiu de pau, chicotes e archotes em cima do "malandro". Nunca ficou clara a acusação. Nem pretendo discutir isso aqui. O Simonal sumiu. Sumiu o homem e a carreira, a voz e a alegria do "champinhon". Soube, através do filho dele, o também músico Simoninha (de quem tenho o prazer de ser amigo) que ele quase morreu no ano passado. Não há fígado que resista a uma acusação de 25 anos. Todos os fígados do Brasil já foram anistiados. Menos o do Simonal.

Semana passada vi o Simonal num memorável programa da deliciosa Hebe Camargo*. Está magro, abatido, mas a voz é firme, gostosa como sempre. De vez em quando, a imprensa entrevista o Simonal. Mas sempre, sempre, sempre, da primeira à última pergunta, o tema é o mesmo, e ele, quase desesperado, diz que aquilo já passou. Não passou não, Simonal. Você foi marcado para sofrer, por todos nós da esquerda, daquela e naquela época. Acho que o buraco é mais embaixo.

E foi pensando no Simonal que eu me lembrei do Barbosa, goleiro da seleção de 50. Barbosa, tão preto quanto o Simonal, levou um gol do Gighia no segundo tempo e o Brasil perdeu a Copa do Mundo para o Uruguai. De quem foi a culpa? Daquele crioulo safado. Desde então (e lá se vão 45 anos) nunca outro negro foi goleiro da seleção canarinha**. [...] Barbosa jamais foi perdoado. A culpa foi dele, já que deveria ser de alguém.

Simonal é o nosso Barbosa, levando petardos de todos os gighias brasileiros. Uma bola (ou uma bala) perdida passou por baixo dele e atingiu a sua alma negra. [...] Num momento que o Brasil oferece exemplo de democracia e dignidade interna e externamente, é hora de se anistiar o Simonal. Que ele volte com sua voz gostosa e seu jeito de malandro aos palcos do Brasil. Deixemos que ele entre novamente em nossas casas, pela porta da frente. Ou pela gaveta de um CD.

Vamos anistiar o homem enquanto ele está vivo***. Ele e nós.

Mário Prata

Nota do blogui:
* No final de 1994, o cantor participou do programa da Hebe Camargo no SBT, ele havia acabado de lançar uma coletânia de grandes sucessos pela WEA, ‘A Bossa e o Balanço de Wilson Simonal’.
** Como o artigo foi escrito em 94, ainda não havia o Dida como goleiro da Seleção, que infelizmente não ganhou a Copa do Mundo em 2006.
*** Na época deste artigo, Simonal ainda estava vivo.

Dois discos da discografia do Simonal não foram encontrados, Simonal de 1983 e Wilson Simonal de 1981. Se alguém tiver alguma notícia deles... Por favor, faça um comentário. Disponho também, após a discografia do cantor, um arquivo com vários compactos reunidos.

Agora é só deixar cair.

1963 Tem Algo Mais

1. Tudo de você
2. Amanhecendo
3. Telefone
4. Saudade
5. Samba cromático
6. Menina flor
7. Lágrima flor
8. Balanço zona sul
9. Menino triste
10. Meu comportamento
11. Samba é verbo
12. Manhã no posto Seis

Deixar cair

1964 A Nova Dimensão do Samba

1. Nanã
2. Mais valia não chorar
3. Lobo bobo
4. Só saudade
5. Ela diz que estou por fora
6. Samba de negro
7. Jeito bom de sofrer
8. Ela vai, ela vem
9. Rapaz de bem
10. Inútil paisagem
11. Consolação/ Samba do avião/ Ela é carioca/ Garota de Ipanema

Deixar cair

1965 Wilson Simonal

1. Garota moderna
2. Na Baixa do Sapateiro/ Aquarela do Brasil/ Terra seca
3. Só tinha de ser com você
4. Marina
5. Mestiço
6. As moças do meu tempo
7. Rio do meu amor
8. Opinião/ O morro não tem vez/ Batucada surgiu
9. Juca bobão
10. Chuva
11. Duvido dividir
12. Bruxaria

Deixar cair

1965 S'imbora

1. Mangangá
2. Fica mal com Deus
3. Sonho de um carnaval
4. Samba do carioca
5. Duas contas
6. Se todas fossem iguais a você
7. Ladeira do Pelourinho
8. Balanço zona sul
9. Nós dois
10. O apito no samba
11. O teu amanhã
12. Lenda

Deixar cair

1966 Vou Deixar Cair

1. Vento de maio
2. Meu limão, meu limoeiro
3. Carango
4. Minha namorada
5. Sem você eu não vivo
6. Enxugue os olhos
7. Maria
8. A formiga e o elefante
9. Mamãe passou açúcar em mim
10. Franqueza
11. Tem dó
12. Samba do Mug

Deixar cair

1967 Show em Si...monal

1. Barra limpa
2. Roda
3. The shadow of your smile/ Yes, sir, that's my baby
4. Cantiga brava/ Shangri-la/ Sina do caboclo/ Terra de ninguém
5. Estrela principal
6. Rocinha estúpida (Something stupid)
7. Consolação
8. O morro não tem vez
9. O que eu faço p'ra esquecer
10. Peguei um Ita lá no norte
11. Un homme et une femme
12. Nem vem que não tem
13. Mexirico da Candinha/ Livre/ Meu bem/ Vem quente que eu estou fervendo
14. Quem te viu, quem te vê/ Madalena foi pro mar
15. Conselho/ Primavera
16. Arueira/ Zambi/ Pare o casamento
17. Meu limão, meu limoeiro
18. Tributo a Martin Luther King
19. Está chegando a hora

Deixar cair

1967 Alegria, Alegria!!!

1. Os escravos de Jó
2. Agora é cinza
3. Vesti azul
4. Aos pés da cruz
5. Belinha
6. Pra que?
7. Nem vem que não tem
8. Fim de semana em Paquetá
9. Pára Pedro
10. Está chegando a hora
11. Remelexo
12. Discussão

Deixar cair

1968 Alegria, Alegria Vol. 2 ou Quem Não tem Swing Morre Com a Boca Cheia de Formiga

1. Sá Marina
2. Cai cai
3. Manias
4. Recruta biruta
5. Neste mesmo lugar
6. Zazueira
7. Não tenho lágrimas
8. De como um garoto apaixonado perdoou por causa de um dos mandamentos
9. Cartão de visita
10. Paraíba
11. Gosto tanto de você
12. Vamos simbora

Deixar cair

1969 Alegria, Alegria Vol. 3 ou Cada um tem o Disco que Merece

1. Silva lenheira
2. Mustang cor de sangue
3. Menininha do portão
4. Silêncio
5. Prece ao vento
6. What you say
7. Moça
8. Aleluia aleluia
9. Mamãe eu quero
10. Meia-volta (Ana Cristina)
11. Pensando em ti
12. Atira a primeira pedra
13. Mulher de malandro

Deixar cair

1969 Alegria, Alegria Vol. 4 ou Homenagem à Graça, à Beleza e ao Charme da Mulher Brasileira

1. Maquilagem
2. Porque hoje é domingo
3. Evie
4. Brasileira
5. Olho d'água
6. Canção da criança
7. Eu fui ao tororó
8. Que maravilha
9. Uma loira
10. Quem mandou
11. País tropical
12. Adios, muchachos
13. Adios

Deixar cair

1970 México ‘70

1. Aqui é o país do futebol
2. Raindrops keep fallin' on my head
3. Kiki
4. Ave Maria do morro
5. I'll never fall in love again
6. Crioula
7. Que pena
8. Aquarius/ The flesh failures (let the sunshine in)
9. Garota de Ipanema
10. Ecco il tipo che lo cercavo
11. As menininhas do Leblon
12. Eu sonhei que tu estavas tão linda

Deixar cair

1970 Simonal

1. Sem essa
2. Destino e desatino de Severino Nonô na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (oh yeah!)
3. Comigo é assim
4. O mundo igualde cada um
5. Sistema nervoso
6. Na baixa do sapateiro
7. Moro no fim da rua
8. Deixa o mundo e o sol entrar
9. Aí você começa a chorar
10. Não tem solução

Deixar cair

1971 Jóia, Jóia

1. De noite na cama
2. Gemedeira
3. Impossível acreditar que perdi você
4. Tristeza
5. Tudo é magnífico
6. Lampião em prosas e versos
7. Garoa diferente
8. Você abusou
9. Na galha do cajueiro
10. Fotografia
11. Ouriço (bônus)
12. África, África (bônus)

Deixar cair

1972 Se Dependesse de Mim

1. Se dependesse de mim
2. Quarto de Tereza
3. Irmãos de sol
4. Mexerico da Candinha
5. Maria
6. Saravá
7. Feitio de oração
8. Glória e paz nas alturas
9. Ninguém tasca (o gavião)

Deixar cair

1973 Olhaí Balândro... É Bufo no Birrolho Grinza!

1. Dingue li bangue
2. Quem mandou (pé na estrada)
3. Nega tijucana
4. Até o dia de "São Nunca"
5. Mocotó é meu/ Zé Furão/ Quem sorriu foi a patroa/ Tava tava
6. Andorinha preta
7. Um sorriso pra você
8. Colecionador de amigos
9. Mão direita
10. Rio Grande do Sul na festa do preto forro

Deixar cair

1974 Dimensão 75

1. A pesquisa
2. Azar
3. Branco na paixão
4. Dona Aninha
5. Pagode do exorcista/ Parece que bebe/ Senta ai vovô
6. Cuidado com o bulldog
7. Sabiá laranja
8. Na subida do morro
9. Serenata para dois
10. Flamengo (Bahia de todos os deuses)

Deixar cair

1975 Ninguem Proibe o Amor

1. Escola em luto
2. Coisa de louco
3. Partitura de amor
4. Da cor do pecado
5. Sabe você
6. O amor está no ar
7. Embrulheira
8. Bons tempos
9. Sozinha (bicho de pé)
10 Cordão

Deixar cair

1977 A Vida é só Pra Cantar

1. Homenagem Rubro-negra (Joga Corinthians)
2. Sá Marina/ Galha do cajueiro/ Vesti azul/ Mamãe passou açúcar em mim
3. A volta do samba, lê, lê
4. A vida é só pra cantar
5.Queremos Deus
6. Meu ofício é cantar
7. Vagabundo do Rei
8. The banana boat song/ Nanã/ Tributo a Martin Luther King
9.Vai, vai, vai (melô do ziriguidum)
10. E viva a planta

Deixar cair

1979 Se Todo Mundo Cantasse Seria Mais Fácil Viver

1. Meu cântico de paz
2. Ana Luiza
3. Você
4. Serra da boa esperança
5.Tem mais samba
6.Canção da criança/ Tempinho bom
7. Quem há de dizer
8. Ligia
9. Minha
10. Marcha da quarta-feira de cinzas

Deixar cair

1985 Alegria Tropical

1. Quero ver descer, quero ver subir/ Foi brincar no mar
2. Jura/ Recordar/ Jarro da saudade
3. Expresso da alegria/ O pato
4. Clementina de Jesus (vale dos orixás)
5. Baiana boa
6. La mucura/ Banana com açúcar/ La paloma
7. Vou entrar na dança
8. Meu tempero (melô da fita)
9. Desabafo e alegria
10. A beleza do seu canto

Deixar cair

1991 Os Sambas da Minha Terra

1. Canto livre
2. Do ré mi/Minha namorada
3. Felicidade/ Tristeza
4. Rio antigo/Rio
5. Não me diga adeus/ Me deixe em paz
6. Velho arvoredo
7. As rosas não falam
8. Retrato cantado
9. Último desejo
10. Samba da minha terra
11. Colecionador de amigos

Deixar cair

1995 Brasil

1. País tropical
2. Vesti azul
3. Mas que nada
4. O morro não tem vez
5. Sá Marina
6. Tributo a Martin Luther King
7. Madalena
8. Asa branca
9. Maria Ninguém
10. Aquarela do Brasil
11. Falsa baiana
12. Canto de Ossanha
13. Lobo bobo
14. Está chegando a hora (cielito lindo)
15. Desesperar jamais
16. Samba do avião
17. Desafinado

Deixar cair

Wilson Simonal Compactos

1961 Biquinis e borboletas/ Terezinha
1962 Eu te amo/ Beija,meu bem
1962 Compacto Isto é Drink: Tem que balançar/ Olhou pra mim
1963 Walk right in/ fale de samba que eu vou
1963 Está nascendo um samba/ Garota legal
1965 De manhã/ ...das rosas/ Cuidado cantor - Passarinho-Nega - Não ponha a mão
1966 Se você gostou
1966 Mamãe passou açúcar em mim/ Tá por fora
1966 Compacto em espanhol : Mamãe passou açúcar em mim/ A praça
1966 A banda/ Disparada/ Quem sambafica/ Máscara negra
1967 Tributo a Martin Luther King/ Deixa quem quiser falar
1967 A praça/ Ela é demais
1967 Balada do Vietnã/ O milagre
1968 O samba do crioulo doido/ Alegria, alegria/ Pata, pata/ A rosa da roda
1968 Correnteza/ A saudade mata a gente/ Terezinha de Jesus
1968 A namorada de um amigo meu
1969 Se você pensa
1970 Na Tonga da mironga do Kabuletê/ No clarão da lua cheia
1970 Compacto em italiano: País tropical/ Ecco il tipo (che io cercavo)
1970 Hino do Festival Internacional
1970 Kiki/ Menininhas do Leblon/ Aqui é o país do futebol/ Eu sonhei que tu estavas tão linda
1970 Brasil, eu fico/ Canção nº 21/Resposta/ Que cada um cumpra com o seu dever
1970 Compacto Promo Shell: Hino do V Festival Internacional da Canção/ Brasil, eu fico/ Que cada um cumpra com o seu dever
1971 Obrigado, Pelé
1971 Ouriço/ África África

Deixar cair

11 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Cracaço! Do Simona eu já tenho tudo. Uma pena que a galerinha que hoje anda atrás de algo na MPB onde se apoiar, ainda não tenha descoberto o rei do suingue, o maior cantor brasileiro (e um dos melhores do mundo) em todos os tempos.
Espero que sua postagem contribua para isso. Lá no G&B, só postei uma coletânea em 2 cds.
[]ões

Edson d'Aquino disse...

Brunão, fiz uma revisão do que tenho e, realmente, não posso lhe ajudar nos discos de 81 e 83 mas tenho compacto com o tema do V FIC e as ufanistas 'Que Cada Um Compra com o seu Dever' e 'Brasil, Eu Fico'.E está até com o scan frente/fundo da capa.Te interesssa?
[]ões

newnativemark disse...

Thank you sooooooooo much for all this wonderful Wilson Simonal. I have never seen (or heard) many of these, so it feels like Christmas to me!

Emidio disse...

Um dos melhores posts!

pseudo-autor disse...

Um artista irretocável a quem fizeram uma grande sacanagem e acabou pagando (de forma indireta) por sua, muitas vezes, desnecessária arrogância. Vi o documentário e li a biografia e recomendo a todos. Vale a pena!

Cultura na veia:
http://culturaexmachina.blogspot.com

Rubens Drix disse...

Parabéns pela postagem!
Simplesmente Sensacional!

Jomo disse...

MARAVILHA DE POST DO SIMONAL...

ESSE BOLG TA CADA DIA MELHOR

VALEU!!!

Karson Santiago disse...

Com certeza é dificil não se emocionar com esta história do Simonal que, diga-se de passagem, foi tão renegado que eu o desconhecia até meados de 2000 (possivelmente as gerações que vieram a partir da mesma década do meu nascimento (1970) também nunca haviam ouvido falar dele até recentemente).

Enfim, uma história que além de emocionar serve também, principalmente, para conduzir reflexões sobre o comportamento humano e a dificílima experiência que pode ser viver.

Parabéns e obrigado ao autor do Blog por disponibilizar tal matéria, e ao Mario Prata pela atitude corajosa, ponderada e honrada que teve naquela ocasião.

Marco disse...

Muito obrigado.

paulo cavalca disse...

Parabens pelo blog, incentivando a cultura do país,

Felipe de Oliveira disse...

Meu caro, poderia por gentileza repostar os links... Gostaria muito de conhecer a discografia do Simonal. Obrigado!