SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 30 de maio de 2010

ESSA É A HISTÓRIA DE UMA TULIPA

Era uma vez uma tulipa cantora que sonhava demais. Ela sonhava com gravações em campo, texturas, ruídos, bordados e cantigas de ninar. Mas todos eram sonhos passageiros, porque o que ela gostava mesmo era de cantar. Então ela cantava e flutuava... E suas pétalas esvoaçavam...

Essa Tulipa é filha de Luiz Chagas, guitarrista da banda de Itamar Assumpção, ‘Isca de Polícia’, e irmã de Gustavo Ruiz, guitarrista da Mariana Aydar e Vanessa da Mata, além de integrar as bandas TP4 e DonaZica. Pois foi ele quem produziu ‘Efêmera’, disco que ela lança hoje no Auditório do Ibirapuera.

O disco abre com a canção título, uma balada folk com ukele e guitarra slide aliados a um coral de sereias, as ‘Negresko Sis’(Anelis Assumpção, CéU e Thalma de Freitas). Em ‘Pontual’, ela canta o cotidiano de um desencontro no cinema, onde a marcação da guitarra cria a idéia do tempo passando.

Tulipa é boa em criar canções de ninar e isso fica claro em ‘Do amor’, clima reforçado com o cantar angelical dela. Em ‘Pedrinho’ ela contou com a participação de vários amigos famosos, como Tiê, Mariana Aydar, Juliana Kehl, Leo Cavalcanti e Tatá Aeroplano.

‘A ordem das árvores’ traz uma letra invertendo a ordem dos fatores para não alterar o passarinho, com um final que me lembra de Caetano Veloso, quando ele ganhou um beijo na boca e correspondeu àquele beijo... ‘Sushi’ é outra balada romântica, composta em parceria com o pai.

‘Brocal dourado’ além de ter sido composta em parceria com o irmão, tem a participação de Iara Rennó, Anelis Assumpção e Thalma de Freitas nos vocais e o baixo de Kassin. O disco segue com ‘Aqui’, uma leve balada romântica com um final inesperado.

‘Às vezes’ é um presente do pai, uma verdadeira crônica da vida à noite na cidade de São Paulo. ‘Da menina’ é uma canção psicodélica onde Tulipa apresenta em versos o início da puberdade feminina. ‘Só sei dançar com você’ termina o disco com a participação de Stéphane San Juan nos vocais e percussão.

A banda que acompanhou Tulipa nesse disco é formada por Gustavo Ruiz e Luiz Chagas nas guitarras e vocais, Márcio Arantes no baixo, Dudu Tsuda no teclado e Duani na bateria. Neste domingo, ela lança oficialmente o CD gravado e masterizado pela YB Music, no Auditório do Ibirapuera, com essa mesma banda e mais participações de Donatinho e Stéphane.
Ela falou à revista TPM sobre o disco.
De onde veio o nome do CD?
O primeiro nome foi "Pontual", uma outra música. De repente Efêmera, que havia feito com Gustavo e esquecido, ressurgiu com tanta força que foi a primeira a ser gravada. A palavra em si é mais usada no sentido de momentosa, atual, do que de meramente passageira. Até lembra Vinícius "infinita enquanto dura".

2010 Efêmera

1. Efêmera
2. Pontual
3. Do amor
4. Pedrinho
5. A ordem das árvores
6. Sushi
7. Brocal dourado
8. Aqui
9. Às vezes
10. Da menina
11. Só sei dançar com você

Abaixar

2 comentários:

Dario Dariurtz disse...

Adorei a Tulipa, ainda não conecia o som dela, é bárbaro!!! Parabéns por postarem ela. Estou seguindo vocês...

Nauh Nowikk disse...

caramba, um dos melhores discos do ano com certeza. diga não a caretice, outa tulipa! ah se toda musica brasileira foi assim tão inspirada....