SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 13 de setembro de 2015

DE COMO OS RIOS VOADORES FLUTUAM NAS ASAS DA GAIVOTA EM MEIO AOS POSTULADOS CATEDRÁTICOS E INSOLÚVEIS

Banda brasiliense 'Rios Voadores' emerge no cenário musical com gravação emulando a psicodelia brasileira dos anos 70.  


Nasceu assim de repente e flutuando no meio do cenário desértico da Capital da República, a banda 'Rios Voadores' tomou de assalto o cenário brasiliense e mostrou que havia vida psicodélica no cerrado. Eles apareceram para o público em geral, com uma performance arrasadora no Festival 'Porão do Rock'.

Primeiro eram Gaivota Naves, Marcelo Moura e Tarso Jones tocando e descobrindo-se dialogando através de diversas influências como 'Som Nosso de Cada Dia', 'Casa das Máquinas', 'Som Imaginário', 'O Terço', 'O Peso', 'Perfume Azul do Sol', 'Modulo 1000', 'Os Brazões', 'Os Baobás', 'Ave Sangria', Lula Côrtes, 'Almôndegas', 'Fábio', 'Serguei' etc.

Para Gaivota, a banda “propõe um resgate das sonoridades dessas bandas de rock psicodélico brasileiro, principalmente as da década de 70 e por ai vai, a lista é infinita e passa pelo hard, prog, rural, pelo forró e groovie”. Marcelo Moura admite as mesmas referências, e acrescenta que “as divergências até trazem uma coisa interessante pro resultado. Eu mesmo tenho uma ligação muito forte com o jazz, com a bossa, com a 'Tropicália'. Tem uns que nem de 'Pink Floyd' gostam, e por aí vai”.

Aos três, Moura na guitarra, Gaivota nos vocais e Jones nos teclados e vocais, se juntaram Helio Miranda na bateria, Beto Ramos no baixo e Gabriel Magalhães também na guitarra – ele chegou a compor algumas canções com a banda – como é o caso de uma das faixas deste EP, a sensacional 'Brasil de ponta cabeça', em parceria com Gaivota.

A outra canção, 'Barnabé Itamar Produções' foi feita entre Jones, Moura e Viviane Yanagui – essas duas canções estão no recém-lançado EP com produção de Thomas e Gustavo Dreher, no estúdios Dreher em Porto Alegre (RS).

A banda já está finalizando o primeiro álbum, mas Moura afirma que eles têm mais composições para encher outro disco. Enfim... Aproveite você para conhecer um novo som antigo que é uma das bandas mais legal dos últimos tempos. Você precisa ver a performance da cantora Gaivota...

E aproveitando o ensejo seguem quatro perguntas para Gaivota Naves.


Como é sua formação artística?
Olha, eu sempre cantei mas assumi os trabalhos artísticos oficialmente em 2001 quando comecei a estudar teatro, atuei durante 10 anos com vários diretores fantásticos de Brasília e através dessa experiência de palco a musica acabou surgindo de forma natural. Foram várias jams na minha casa o que me levou a ser versátil, fora o fato de tocar quase todos os dias com o Tarso (tecladista) e com o Marcelo (guitarrista). Quando começamos a pegar palco com a banda tudo foi crescendo e sinto que esse é só o inicio de uma jornada de muito estudo e dedicação.

De onde vem tanta energia?
Hahaha não sei. Acho que o lugar onde a gente se sente à vontade potencializa a energia. Eu realmente amo estar no palco, estar com os 'Rios', criar esses espaços musicais onde todos estão conectados de uma forma única, num só respiro, daí quando acontece eu fico louca, rs.

Você se considera mais cantora ou atriz?
Eu sou intérprete, Há! Não tem como dissociar uma coisa da outra, rs. Trabalhar muito tempo como atriz transformou o palco em um lar, o que me deixa muito à vontade e gera vários tipos de performances interessantes. Para mim as composições tem vontades próprias, são elas que ditam como querem sair e eu nada posso fazer se não obedecer. Acredito que isso é o que traz esse magnetismo!

Como vocês lidam com os downloads gratuitos?
Acho super bom, o trabalho autoral ganha muito mais espaço nas mídias sociais e principalmente os trabalhos independentes, que não possuem a ajuda dos selos. Acredito que quem escuta online e gosta do som faz questão de comprar o disco físico.

2015 Rios Voadores EP

1. Barnabé Itamar Produções
2. Brasil de ponta cabeça

2 comentários:

Moises Rueda disse...

Tem que pagar?

Eu Ovo disse...

se vc quiser pagar - todos agradecem.
mas se vc colocar 0 no quadradinho - vc nao paga nada..... 0.