SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 21 de junho de 2015

QUE PASSA, QUERIDO? QUERIDÃO!!! ou A LENDA DO GALANTE VAVAJETZ E SUAS PARTÍCULAS SONORAS

Segue essa missiva para esse artista brasiliense, que tem estilo único de compor canções cheias de diversas referências maravilhóptimas.


'Os Jet Sambas' são teu sonho antigo, né? Vavá Afiouni. Você sempre dizia, “meu próximo disco vai ser o 'Jet Sambas'”, mas dai vinha outro e mais outro e enfim, tudo de novo...

Mas com seu jeito elegante de compor falando por metáforas, com peculiares adjetivos e inventando histórias – como o sonho milionário do SuperVavá – com esse jeito único de tocar baixo, com essas composições e vocais magmáticos de falar tudo que sente e expor a própria alma numa sucessão sintomática de sucessos sinceros.

Chegou com esse disco maravilhóptimo e cheio de energia, que já vem povoando nosso cenário, mesmo que metaforicamente falando. Começando pelo fim confesso logo a alegria de ouvir o álbum encerrando com a canção emblemática, que marcou uma época... 

Que video é aquele do prédio desabando? É que o hotel estava abandonado e agendado para implosão... Mas mesmo assim!!!! Somente mesmo uma mente brilhante como a sua, que é prateada e reluzente o suficiente para ter uma idéia genial e tecnológica como essa. Putaqueopariu!!! Phodástica com PH! Sabe? Derrubaste um prédio com as ondas sonoras! Hehehehehe.

Foi dessa gravação que saiu 'Bota gente no zoológico'? Cantada em uníssono por um monte de gente como um coro dos velhos samba-rocks dos anos 70 – Pra mim é bem emblemática, que essa mesma canção que encerra o álbum foi uma das primeiras que ouvi depois do 'Papo do Bicho', tipo encerrando o ciclo do 'Toró de Palpite' e iniciando o 'Jet Samba'... Por isso que comecei pelo fim... Enfim...



Já em 'Revolução', essas aliterações singelas que nos brindam com essa canção protesto, que é a mais suave e delicada de todos os tempos – cantada pelo percussionista George Lacerda. Aqui deixa eu colocar pros leitores, que a banda 'Passo Largo' tá tocando em todas as faixas e pra quem não sabe são Thiago Cunha na bateria e o Marcus Moraes na guitarra.

A valsa 'Tanajura ao Marimbondo' me lembra muito o clima de 'Jabuticabeira radioativa' e me parece uma fábula de amor muito improvável sobre uma cantora e um valentão. “É rock na certa!”. Gosto particularmente das imagens que você cria com as repetições cacofônicas da letra. Como em tanajura-jura e marimbondo-moribundo.

Da primeira vez que ouvi 'Típica' achei que era “te picar menino”, o que fazia total sentido já que a parte seguinte da letra dizia “eu fui trepar na goiabeira... eu fui brincar de dois” – mas acho melhor nem saber a verdadeira verdade sobre a história real dessa letra.

'Vento de Itacaré' me transportou direto para a praia paradisíaca do litoral baiano – pra quem não sabe é um lugar muito frequentado pelos brasilienses nas férias de verão. É uma canção bucólica e saudosista com coro da Suzanna Aune, que além de ser a autora das fotografias é homenageada em 'Su', uma legítima canção de amor lá do fundo da pleura central da peridural.

'Opa Paim' é uma interjeição espiritual, né? Com mais vocais especionais de George Lacerda e Ana Reis. Também achei um climão 'Tincoãs' e tal... E por falar nisso, achei 'Que passa' mais pra calipso-brasileiríssimo que sala-psicanalítica. Mas qualquer um que seja a canção é boa demais. Também vi com alegria a retomada ao tema dos dejetos, dos bichos, das frestas, dos orgãos anatômicos, das contas matemáticas, da evolução das espécies, do animal moral etc.

'O elevador' é teu reggae-social – com perdão do trocadilho – vejo uma reflexão filosófica e bem humorada sobre os tempos atuais. Seria o 'The Uáu do Vaváu'? “Bunda com testa” é uma imagem que representa muito bem o ônibus lotado para caraleo.

Mas essa canção que abre o disco, 'Todo dia', que é uma fábula do macaco que decidiu levar a vida do homem e descobriu que “problemas não cessam, assim como a evolução”, é mesmo foda e é a canção perfeita pra começar o álbum. Funciona bem como um resumo do que vem por aí...

Então pra encerrar como mesmo diria o galante Vavajets?
Um beijo na pleura! Queridão!!!

2015 Os Jet Sambas

1. Todo dia
2. O elevador
3. Que passa
4. Opa Paim
5. Su
6. O vento de Itacaré
7. Típica
8. Tanajura ao marimbondo
9. Revolução
10. Bota a gente no zoológico

Nenhum comentário: