terça-feira, 26 de dezembro de 2017

A TRAJETÓRIA DO HERÓI QUE TAMBÉM VAI PASSAR

César Lacerda recém lançou um disco cheio de delicadezas e pequenas pérolas em forma de várias belas canções.



As canções do cantor mineiro César Lacerda tocam fundo na alma porque carregam suas dores e curas de forma que o ouvinte receba a melodia e decifre os significados.

Após um ano especial com o álbum em parceria com o cantor Rômulo Fróes, o ótimo “O Meu Nome é Qualquer Um”, César Lacerda veio com uma fórmula não fórmula do que na verdade queria alcançar. Como ele mesmo afirmou, “eu queria alcançar mais público”.

Todo artista tem essa intenção. De ser mais escutado, vender mais shows, tocar mais almas. “Tenho a sensação de que a minha música tem aptidão pra chegar em mais gente”, afirma ele. Por isso seu novo álbum, “Tudo Tudo Tudo Tudo” carrega todo tipo de força melódica. “Eu queria seguir fazendo a música que é minha, que tem a minha assinatura, mas queria expandir assuntos, musicalidades”, ressalta.

Para alcançar este objetivo, o compositor juntou-se ao diretor artístico Marcos Preto e criou um disco que não seguisse nenhuma expectativa. Um álbum que fosse delicado e enérgico ao mesmo tempo. Com até um cover improvável que soasse tão inesperado quanto mostarda em um biscoito de chocolate recheado.

O Novo álbum abre de forma singela e delicada em “Isso também vai passar” revelando uma visão transformadora de um futuro próximo. Na sequência, “Quando alguém”, outra melodia tranquila e confortante com participação especial de Maria Gadu nos vocais e assobios de Flavio Tris e estalos de dedos de Fernando Rischbieter.

O cover inesperado da canção da Pitty, “Me adora”, trouxe uma interpretação delicada para uma canção energética. Luisa Birina no violão de 7 cordas, Maria Beraldo no clarinete estão presentes na canção “O marrom da sua cor”, um sambinha maroto, malemolente e suingado que faz qualquer doente do pé balançar e marcar o ritmo no mesmo passo.

“Porque você mora assim tão longe?”, mostra um compositor preocupado em criar um ambiente onírico e espetacular, capaz de transportar o ouvinte ao seu próprio universo particular. A canção tem Thais Morais no violino e Filipe Massumi no violoncello e arranjos de cordas do próprio Lacerda.

“O fim da linha” tem o solo de flugelgorn  de Nahor Gomes. “Por um segundo”, fruto de uma parceria entre Lacerda e Rômulo Fróes, tem os músicos Elisio Freitas, Vitor Cabral, Rafa Castro e o próprio César – pois é esse time que toca em todas as faixas do álbum.

O disco segue para o encerramento com “Sei lá mil coisas” e “O homem nu”, duas baladinhas leves e dançantes, seguidas por “Percebi seus olhos em mim” com Cesar desnudando-se em piano e voz – pois são dele todas as canções do álbum.

2017 Tudo Tudo Tudo Tudo

1. Isso também vai passar
2. Quando alguém
3. Me adora
4. O marrom da sua cor
5. Porque você mora assim tão longe
6. O fim da linha
7. Por um segundo
8. Sei lá mil coisas
9. O homem nu
10. Percebi seus olhos em mim


ABAIXAR

Nenhum comentário: