SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 18 de setembro de 2011

JAGGER, MARLEY, RAHMAN, STONE & STEWART


Superheavy é o super grupo formado por Mick Jagger, Joss Stone, Damian Marley, Dave Stewart (ex-Eurythmics) e A. R. Rahman (compositor indiano responsável pela trilha sonora pop-indiana do filme de Danny Boyle, ‘Quem quer ser um milionário’ – ‘Slumdog milionaire’ em inglês).

Esse time é acrescido de Shiah Coore no baixo, Courtney Diedrick na bateria (ambos tocam com Marley) e a violinista de rock Ann Marie Calhoun. Nessa mega banda que é o ponto alto dos grupos com vários vocalistas.

Pode-se dizer que a idéia nasceu de Stewart, logo após gravar a trilha sonora de ‘Alfie’, com Mick Jagger – que também continha participação de Joss Stone. Os dois resolveram produzir um som com múltiplos estilos musicais e convidaram, além de Stone, Marley representando o som jamaicano, e Rhaman para acrescentar o tempero indiano.

Cantar nesse projeto deve ser um alívio para o eterno frontman dos ‘Rolling Stones’, Jagger, que finalmente pode relaxar e simplesmente participar de uma banda como um mero integrante.

Num dos grandes lançamentos do ano, o álbum tem um pouco de tudo, reggae no primeiro single e ritmos indianos como no segundo compacto, ‘Satyameva jayathe’.

Tem também a prima distante de ‘Start me up’, ‘Energy’, com a gaita característica de Jagger (que até parece um sample da canção dos ‘Stones’). Outra que lembra as composições de Jagger para sua outra banda mais famosa – ‘Never gonna change’, que lembra ‘Angie’.

Quem sempre imaginou como seria o disco de reggae que a Joss Stone prometeu e nunca gravou? Pode até curtir uma palhinha do que será ouvir a moçoila cantando reggae em ‘Miracle worker’ e ‘Beautiful people’.

A balada sentimental ‘I don’t mind’ tem o belo dueto de Jagger com Joss Stone e toma um rumo inesperado com a entrada do vocal reggaeado de Damian Marley.

O disco teria encerrado com a épica ‘World keeps turning’ não fosse a edição de luxo, que conta com mais quatro faixas que permeiam entre a cultura indiana, jamaicana, inglesa e norte-americana.

Não há como definir ou rotular este lançamento, que pode facilmente figurar nas listas de world music, reggae, rock ou soul.

2011 SuperHeavy (Deluxe Edition)

1. Superheavy
2. Unbelievable
3. Miracle worker
4. Energy
5. Satyameva jayathe
6. One day one night
7. Never gonna change
8. Beautiful people
9. Rock me gently
10. I can’t take it no more
11. I don’t mind
12. World keeps turning
Deluxe Bônus
13. Mahiya
14. Warring people
15. Common ground
16. Hey Captain

Abaixar

5 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Sem comentários por aqui, Brunão, pois desse lançamento só salvo a ilustração de capa. Já lhe respondi lá no G&B.
[]ões

luxorissa disse...

Belo projeto.Gostaria de parabenizar ao blog por me fazer conhecer tanta musica de qualidade.

Adriano disse...

Caro blogueiro. Poderia postar black keys?
obrigado

O Homem Sagaz disse...

Achei o disco bacana mas nada de muito incrível. Tem pontos altos e baixos.
E cá entre nós, não gosto muito da mistura da voz do mick jagger com o resto...e estou longe de ser um purista stoniano..
abraços a todos
e mais uma vez parabéns pelo blog..é foda!!

ressucitando...

Anônimo disse...

Obrigado pelo post. O álbum é bom, como já afirmaram aqui há altos e baixos. Vale a pena ouvir. Jagger em todas as suas intervenções arrasou, transitou por estilos que, afinal, os stones conhecem como ninguém: blues, rock, reggae. Acho que as faixas ficaram grandes demais. na maioria dos casos, se as faixas terminassem em 3 minutos, no máximo, ficariam perfeitas.
Joss stone apareceu de modo surpreendente, mas falta originalidade, nas suas interpretações.