sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007

O QUE VAMOS FAZER HOJE A NOITE, PINK?

O mega-concerto de caridade organizado por Bob Geldof, ator principal do filme de AlanParker, "The Wall", Live 8, reuniu mais de três bilhões de pessoas em todo mundo. Bob Geldof já havia realizado o Live-Aid nos anos 80.

Os concertos do Live 8 ocorreram na Inglaterra, no Hyde Park em Londres; na França, no Palácio de Versailles em Paris; na Alemanha, na Siegessäule em Berlim; na Itália, no Circus Maximus em Roma; nos Estados Unidos, no Museu de Arte na Filadélfia; no Canadá, no Park Place em Barrie; no Japão, no Makuhari Messe em Tokyo, na África do Sul, no Mary Fitzgerald Square em Johannesburg e na Praça Vermelha de Moscou na Rússia.

Em Londres na Inglaterra, se apresentaram artistas como Elthon John, Paul McCartney, Sting, The Who, U2, Madonna, Coldplay e Joss Stone. Mas o show mais esperado da noite foi a reunião clássica do Pink Floyd, com todos integrantes.

Atualmente o Pink Floyd se apresenta com David Gilmour na guitarra e voz, Richard Wright nos teclados e Mick Mason na bateria. O baixista Roger Waters encerrou a banda no início dos anos 80. Os outros integrantes, liderados por David Gilmour, ganharam uma ação na justiça para utilizarem a marca Pink Floyd. A relação dos remanescentes com um de seus fundadores ficou estremecida e ninguém imagina que os quatro poderia se reunir novamente.

Roger Waters foi um dos fundadores originais da banda, juntamente com Richard Wright e Mick Mason. Naquela época a vaga de guitarrista e líder da banda pertencia a Syd Barret. Mas as viagens lisérgicas e a esquizofrenia em estágio inicial retiraram da vida musical o principal compositor do Pink Floyd. Syd Barret ditou os caminhos da banda nos dois primeiros álbuns.

Reza lenda que o guitarrista havia aprendido a tocar guitarra com um amigo próximo, o próprio David Gilmour. Por esta razão, Gilmour foi chamado para tocar com a banda e chegou a gravar o segundo álbum do Floyd, "A Sacerfull of Secrets". A partir do terceiro álbum, a banda não mais contava com a participação de Syd Barret, e a banda flertou com discos instrumentais.

A partir do álbum, "Dark Side of The Moon", Roger Water assumiu a frente da banda e impôs uma sucessão de discos conceituais. Após a ópera-rock "The Wall", a influencia de Waters na banda era tão grande, que ele expulsou Richard Wright do Floyd, e a banda gravou o disco "Final Cut", sem o tecladista original.

"Final Cut", foi um álbum fraco e encerrou as atividades do Pink Floyd. Roger Waters lançou uma carreira solo bem sucedida com o disco "Prós and Cons of Hichhicking", com participações do guitarrista Eric Clapton e do saxofonista Michael Kamen. David Gilmour também lançou um disco solo e reatou a parceria com os outros integrantes da banda, quando iniciaram um processo para utilizarem o nome Pink Floyd.

Pode-se dizer, então, que o Pink Floyd não se reunia com a formação clássica, desde o disco "The Wall". Mas no dia dois de julho do ano de 2005, Roger Waters, David Gilmour, Richard Wright e Mick Mason tocaram juntos novamente, depois de 25 anos.

2005 - PINK FLOYD – LIVE 8

1. Breathe
2. Money
3. Whish you were here
4. Confortably numb

Nenhum comentário: