domingo, 11 de outubro de 2015

KARINA BUHR VEM DA SELVA DE DENTRO

O novo álbum de Karina Buhr é perfeito para todas princesinhas bonitinhas que gostam de borboletinhas e coisinhas fofinhas.  


Karina Buhr tem um discurso contundente anti-machista em favor de todo e qualquer tipo de gênero excluído. Ela é da turma das travestis, das maloquêras e das mulheres-sem-valor.

Ainda hoje no Brasil a mulher é vítima e em muitas vezes fatal. Segundo o Mapa da Violência de 2012, duas em cada três pessoas atendidas em decorrência à violência doméstica são mulheres. Por isso Karina apresenta uma delicadeza na forma de um rolo compressor e lança uma verdadeira cartilha ensinando a enfrentar leões, como diz a letra da faixa de abertura, 'Dragão'.

Neste álbum, 'Selvática', e é necessário explicá-lo detrás para a frente. Karina relaciona a liberdade das mulheres com a vida selvagem dos animais – assunto que fica bem exemplificado na canção que encerra o disco, com parceria nos vocais de Elke Maravilha e Denise Assumpção.

Já em 'Eu sou um monstro' a cantora revela a possibilidade de metamorfosear todas princesas em monstros instigando-as a deixarem a apatia de lado e se transformarem. Em 'Conta gotas' a cantora permanece no discurso instigante, com a participação de Guizado no trompete.

Karina Buhr expõe todo machismo em 'Pic nic' e 'Esôfago', com a poética do que as mulheres precisam suportar ainda hoje. Sempre com a guitarra rasgada de Edgard Scandurra e o baixo marcante de Mau. “Eu também prefiro coisas”, parece um grito de guerra de libertação sufragista.

Mas há também espaço para falar sobre diferenças sociais como em 'Cerca de prédio', com participação dos 'Devotos', Cannibal, Celo Brown e Neilton. Karina apresenta um álbum recheado de guitarras com Fernando Catatau em 'Vela e navalha' – ainda com Vitor Rice no violoncelo – e Manoel Cordeiro em 'Rimã' – os dois se apresentam juntos no reggae-dub-calipso 'Alcunha de ladrão'.

Karina ainda apresenta em dueto com Laura Lavieri, a canção 'Desperdiço-te-me' e sem desperdício ela mostra os peitos e joga o preconceito de volta na cara dos caretas. “Ela vem da selva de dentro”. A banda dela ainda conta com Bruno Buarque na bateria, percussão e mpc e André Lima nos sintetizadores e teclados.

Oxalá todas princesas um dia virassem Selváticas e chutassem o príncipe machista e almofadinha – porque a revolução das Selváticas já começou...

2015 Selvática

1. Dragão
2. Eu sou um monstro
3. Conta gotas
4. Pic nic
5. Esôfago
6. Cerca de prédio
7. Vela e navalha
8. Rimã
9. Alcunha de ladrão
10. Desperdiço-te-me
11. Selvática

3 comentários:

Vine Aleixo disse...

Bela análise, o disco é um dos melhores desse 2015 cheio de lançamentos instigantes.

abraço,

Barbara Priscila disse...

Fantástica! Eu tenho esse código IMVU créditos e eu não posso acreditar que ele realmente funcionou! I got a http://imvucreditsgenerator.com

Barbara Priscila disse...

Fantástica! Eu tenho esse código IMVU créditos e eu não posso acreditar que ele realmente funcionou! I got a http://imvucreditsgenerator.com