domingo, 2 de fevereiro de 2014

A GRAVEOLA SOPRA NA ORELHA O SOM DA VIOLA

Os mineiros do 'Graveola e o Lixo Polifônico', apresentam quarto disco cheio de referências aos clássicos da música brasileira.


A banda 'Graveola' se tornou um coletivo, comunidade, organização, sei lá... Eles seguem com a mesma pegada de belas canções, recheadas de reverências ao cancioneiro popular brasileiro.

O álbum 'Vozes Invisíveis ou 2 e 1/2' inicia com uma colaboração com Zé do Poço como cantor e regente, um convite ao 'Ouvinte' a escutar, baixar e compartilhar gratuitamente o CD. 'Vozes invisíveis' é uma bela canção de lotar estádios e ser entoada em uníssono por toda platéia.

'Envelhecer' faz clara referência a 'Preciso aprender a ser só', tanto na letra simples e na melodia sincopada. 'Cafeína' e 'Chuva se começo a pensar' são resultados da parceria entre Luiz Gabriel Lopes e José Luis Braga, dois mestres da aliteração e da arte de espalhar pitadas de referências à música brasileira.

'A mão e a roseira' e 'Até breve' são baladas poéticas e psicodélicas com arranjos singelos, enquanto 'Canina intuição' e 'Escadaria' revelam forte influência do 'Clube da Esquina'. 'Cleide' é um chorinho moderno, seguido por 'Maquinário', um samba com tabla.

'A lenda do Homem Pássaro' foi composta por J.P. Simões e 'Da janela' por Luiza Brina. Um disco especial, que também pode ser considerado como um recorte temporal, um registro sonoro, uma série de impressões variadas da comunidade em movimento, chamada 'Graveola'.

2014 Vozes Invisíveis ou 2 e 1/2

1. Ouvinte
2. Vozes invisíveis
3. Envelhecer
4. Cafeína
5. A mão e a roseira
6. Canina intuição
7. Escadaria
8. Até breve
9. Cleide
10. Maquinário
11. A lenda do Homem Pássaro
12. Da janela
13. Chuva se começo a pensar

Nenhum comentário: