domingo, 13 de setembro de 2009

LUA E SUA MAIS NOVA RISADA ENLUARADA

O que pode parecer uma estratégia de vendas, à primeira vista, é na verdade uma releitura do primeiro álbum da jovem cantora Luana Gorayeb, conhecida como Lua.

Neste lançamento de 2009, ela revê seu repertório utilizando diferentes ritmos que deram nova roupagem às mesmas canções. ‘Tô na sua’ foi transformada num dub pelas mãos de Daniel Ganjaman, ‘Seres Tupy’ virou um ska frenético por Marcelinho da Lua, enquanto ‘Se tudo pode acontecer’ ganhou versão jazz do ‘Instituto’.

‘Maracatu de tiro certeiro’ ganhou remix com ‘Turbo Trio’, ‘Piercing’ com BiD e ‘Não deveria se chamar amor’ com Apollo 9. ‘Já ‘Obrigado (Por ter se mandado)’ foi a faixa que mais mudou em relação ao lançamento de 2008. A canção ficou bem mais eletrônica com a intervenção do ‘Ape Shit Brothers’, coletivo dos Djs Zegon e Ali Disco B. ‘Jogo bom’, que é uma balada romântica,também mudou bastante nas mãos de Lenny Ibizarre.

Esse disco, recém-lançado, ainda apresenta duas canções inéditas no repertório da Lua. ‘Solidão gasolina’ de Curumin e ‘Temporal’ de André Caccia Bava. Este é um novo lançamento da Olôko Records - 'Lua Remixes' - com produção de Daniel Ganjaman.

2009 Lua Remixes

1. Tô na sua (Daniel Ganjaman remix)
2. Seres Tupy - & Lenine (Marcelinho da Lua remix)
3. Se tudo pode acontecer (Instituto remix)
4. Maracatu de tiro certeiro - & B. Negão (Turbo Trio remix)
5. Piercing - & Sambatuh + Lison Fya (Bid & Gusta)
6. Não deveria se chamar amor (Apollo 9 remix)
7. Obrigado (Por ter se mandado) (Dj Zegon + Ali Disco B)
8. Jogo bom (Love Groove remix)
9. Solidão gasolina
10. Temporal

Abaixar

Nenhum comentário: