segunda-feira, 5 de março de 2007

OH! MINHA HONEY BABY!

Jards Macalé e Waly Salomão eternizaram sua parceria com o clássico “Vapor barato”, na voz de Gal Costa e anos depois com O Rappa.

Jards Macalé ficou conhecido no IV Festival Internacional da Canção, em 1969, quando apareceu no palco todo vestido de preto gritando por socorro e dizendo que havia um morcego na porta principal. Acontece que a música que Macalé defendia era “Gothan City” e o público não gostou nem um pouco da brincadeira. Macalé foi vaiado durante toda sua apresentação.

Porém este não foi o começo da carreira do jovem Macalé. Ele já era um excelente instrumentista e tocava violão com o Grupo Opinião e no espetáculo Arena Canta Bahia. Acompanhou alguns shows de Maria Bethânia e viajou para Londres em 1970 para tocar com Caetano Veloso e gravar o antológico disco ao vivo do mano Caetano, “Transa”. Desde então, o violão de “Nine out of ten”, “It’s a long way” e “You don’t know me”, são pérolas da música brasileira.

Macalé gravou vários discos entre eles, tributos aos sambistas Moreira da Silva, Paulinho da Viola, Geraldo Pereira, Nelson Cavaquinho e Lupcínio Rodrigues. “Vapor barato” foi uma das primeiras parcerias entre o poeta Waly Salomão e o músico Macalé, junto com “Mal secreto”.

Macalé lançou este disco em homenagem ao parceiro Salomão, que faleceu em 2003. O disco só contém músicas de parceria entre os dois, e tem participações mais que especiais do próprio poeta, de Maria Bethânia, Adriana Calcanhoto, Roberto Frejat e Luiz Melodia.

2005 Real Grandeza

1. Ôlho de lince
2. Rua real grandeza
3. Senhor dos sábados
4. Anjo exterminado
5. Dona do castelo
6. Vapor barato
7. Mal secreto
8. Negra melodia
9. Revendo amigos
10. Berceuse criolle
11. Pontos de luz

2 comentários:

Carol, a Hoff disse...

o link não é mais válido!
será que dá pra reativá-lo?

Giovana Izidoro disse...

Pois é, o link não funciona... :((