SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 24 de novembro de 2013

SAMBANDO DE MANSINHO AO SOM DE LUCIANA OLIVEIRA

Cantora brasiliense, Luciana Oliveira, apresenta segundo disco com maturidade e sobriedade nos arranjos e composições. 



'Pura' é o título do segundo álbum da cantora Luciana Oliveira, com composições próprias e algumas parcerias no meio do caminho. A produção ficou a cargo de Alê Siqueira e arranjos e participações de Mikael Mutti e Adson Santana.

O álbum abre com a faixa título, de autoria de Eduardo Brechó, que é parceiro de Luciana na próxima canção, 'Condicionada', com participação de Elza Soares e das teclas psicodélicas de Mikael. A partir deste ponto o ouvinte está completamente fisgado e inebriado pelo som gostoso da voz da cantora e pelas suas belas composições.

'Aroeira' é uma belo exemplar de canção autoral, que bem reflete o estilo da cantora, ao misturar o batuque brasileiro com batidas eletrônicas. Seguida por 'Samba em pliet' com uma gostosa levada axé. 'O mundo estava em guerra mas aqui era carnaval' foi composta por Alexandre Carlo, do Natiruts, especialmente para Luciana gravá-la na mesma pegada “made in Bahia”.

'Fé menina' trás um groove funekado ao álbum, com baixo de Arthur Maia e percussão de pneus de Peu Meurray. O ritmo se mantém em 'Menina Guiné' composta em parceria de João Ferreira. 'Cio das águas' foi composta por Lucas Cirilo e Téo Garfunkel, seguida pelo clássico de Caymmi e Amado, 'Retirantes', com participação de Mateus Aleluia ('Tincoãs'), Gabi Mendes ('Orquestra Rumpilez') e das 'Ganhadeiras de Itapoã'.

O álbum encerra com 'Flor e Flora', gravada com João Ferreira no violão. Um disco suingado e bem balançado, com delicadeza ímpar e arranjos singelos. Pra ouvir e sambar de leve e juntinho.

2013 Pura

1. Pura
2. Condicionada
3. Aroeira
4. Samba em pliet
5. O mundo estava em guerra mas aqui era carnaval
6. Fé menina
7. Menina Guiné
8. Cio das águas
9. Retirantes
10. Flor e Flora

domingo, 17 de novembro de 2013

A ESPETACULAR CHARANGA DO THIAGO FRANÇA

Thiago França ataca novamente com um disco digital, apresentando e misturando ritmos latinos como cumbia, maxixe e ragga.


'A Espetacular Charanga do França Ataca Nocamente' é o nome do álbum. Um disco com esse nome tem que ser muito bom. Porém – e sempre tem um – são apenas quatro músicas... Em compensação, são quatro belas canções!   

Enfim... Esse França é o próprio selo de qualidade de música boa paulistana. Se tem o França! Pode crer que é bom. Seja 'MarginalS', 'Sambanzo', 'Duas Sessões', 'Metá Metá' e em projetos com Dona Inah, Rodrigo Campos ou Criolo. Sem menosprezar outros paulistanos, apenas para deixar claro que se tem o dedo – ou o  beiço – do França existem grandes possibilidades do som ser instigante e inventivo. 

O álbum abre com 'Hasta la cumbia', que o nome entrega todo o estilo, mas com o nome de extrema beleza plástica fica impossível não cantarolar a melodia e balançar os pés, braços, quadris etc. Continue de pé para bailar 'Cumbia cumbia' na sequência.

O lado B do compacto, começa com a mistura inspirada de ragga com maxixe, 'Raggaxixe'. Seguida pela também inspirada 'Pedra do rei', que encerra o petardo com paticipação na bateria de Tony Gordin e Wellington Pimpa Moreira, que também toca percussão.

Todas as faixas foram compostas e arranjadas pelo França, com o próprio tocando saxofone alto, acompanhado de Anderson Quevedo no saxofone barítono, Amilcar Rodrigues no trompete, Didi Machado no trombone e Samba Sam no surdo.

Como uma amostra espetacular, Thiago deixa no ar a possibilidade de um 'Retorno da Espetacular Charanga do França' num futuro bem próximo. Oxalá soprem ventos que entoem em únissono com os sopros que aqui partem!

2013 A Espetacular Charanga do França Ataca Novamente

1. Hasta la cumbia
2. Cumbia cumbia
3. Raggaxixe
4. Pedra do rei

domingo, 10 de novembro de 2013

O BAILE DANÇANTE DO BIXIGA 70

'Bixiga 70' faz alusão a um dos mais famosos bairros da capital paulista e aos timbres e sonoridade almejada pelos integrantes da banda.  


O 'Bixiga 70' apresenta, em seu segundo álbum, uma incursão ao legítimo batuque paulistano de raízes africanas. A intenção foi resgatar a sonoridade dos anos 70 ao misturar o samba de terreiro com o afrobeat nigeriano de Tony Allen e Fela Kuti.

Já na faixa de abertura eles reinterpretam o clássico dos 'Tincoãs' de Mateus, Dadinho e Heraldo, que já haviam adaptado tema comum de domínio público, 'Deixa a gira girar', e encurtam a distancia entre Bahia e Nigéria.

'Ocupai' parece oportuna no momento atual e segue apresentando um afrobeat embriagado com o teclado de Maurício Fleury, que prepara a cama para os sopros de Cuca Ferreira (barítono), Daniel Nogueira (tenor), Douglas Antunes (trombone) e Daniel Gralha (trompete).

Em tempos de invasão paraense, a banda mostra uma cumbia em 'Kalimba', canção recheada de balanço, suingue e merengue. '5 esquinas' é um afrobeat característico com marcação cerrada daateria de Décio 7 e a guitarra espacial de Cris Scabello.

Em 'Kryptonita' a banda acelera as batidas pelas percurssões de Rômulo Nardes e Gustavo Cék, seguida pelo groove belo e melódico da faixa 'Tigre'. 'Tangará' é uma exaltação percurssiva, que infelizmente ficou de fora do vinil.

Quando chegares na audição de 'Retirantes', já estará completamente inebriado pelo climático e catártico som do 'Bixiga 70'. A última canção do álbum dá-se com 'Isa', bela composição do baixista Marcelo Dworeki, que funciona como um maravilhoso ponto final.

Um encerramento épico, a altura do disco, ao mesmo tempo acalmando os nervos e deixando um gosto de quero mais. Deixando no ouvinte a clara vontade de pedir um repeteco. Eu ovo de novo. E você?

2013 Bixiga 70

1. Deixa a gira girar
2. Ocupai
3. Kalimba
4. 5 esquinas
5. Kryptonita
6. Tigre
7. Tangará
8. Retirantes
9. Isa

domingo, 3 de novembro de 2013

OUSA TUDO O QUE QUER SER VERLINDO

Projeto Verlindo apresenta um som cheio de bossa, samba, choro, batidas eletrônicas, belas melodias e climas espaciais e toda galáxia. 


Jorge Verlindo criou um universo particular cheio de belas melodias, através da arte conceitual de Nelson Cordeiro – a criança nas costas de uma tartaruga gigante, que como nos mitos antigos, carrega o universo em cima do casco – no álbum 'Ousa'.

Jorge juntou-se a Rafa Dornelles para arranjar e dar vida as canções compostas por Verlindo, com belas melodias pontuadas por efeitos, batidas e climas, que permeiam toda obra produzida por Tomás Seferin (que forma o Sacassaia junto com Gabriel Reis).

A faixa de abertura é 'Outro lamento', um sambinha bossa nova, que ressalta o dueto em vocalize de Verlindo com Renata Jambeiro. 'Ponto cego' se afasta do rótulo bossa nova ao se aproximar do lounge, mas segue a trajetória melódica do banquinho, voz e violão do cantor.

Em 'Bonita', Verlindo acrescenta um suingue, seguindo a mesma linha das canções anteiores. 'Esse teu choro' trás Xande Bursztyn (dos Móveis Coloniais de Acaju) no trombone, formando uma cama perfeita para o violão cadenciado e o baixo harmonioso de Rafa Dornelles (co-produtor do disco).

'No compasso da espera' é uma perfeita mistura das batidas eletrônicas com o violão melódico de Verlindo. “Devo adimitir” comenta a letra de 'Tudo bem', mas cabe a mim ressaltar que essa mistura bossa lounge, soa muito melhor que as intervenções 'Pafite', 'Da Lua', Bebel Gilberto, entre outras.

A faixa título, 'Ousa', carrega uma batida forte e suave ao mesmo tempo, que culmina num clímax atmosférico espacial. 'Passado' é um chorinho elegante e eletrônico de barulhinhos espaciais e vocais de Sônia Bonna (que também canta em 'Ponto cego', 'Esse teu choro' e 'Espero teu corpo').

O álbum encerra com 'Grande passeio' e 'Tudigual', duas baladas melódicas recheadas de barulinhos bons e que encerram uma ópera alegre. Uma obra que representa o universo e tudo que está contido nele, todos sentimentos, medos, alegrias, tristezas, enfim... E tudo mais...

Atualmente, Verlindo virou projeto com o próprio Jorge na voz e violão, Rafa Dornelles na guitarra, Arthur Lobo no baixo e Walter Cruz nos teclados e sintetizadores e mpc e com essa formação a banda têm se apresentado ao vivo. 

2013 Ousa

1. Outro lamento
2. Ponto cego
3. Bonita
4. Esse teu choro
5. Compasso da espera
6. Tudo bem
7. Ousa
8. Passado
9. Espero teu corpo
10. Grande passeio
11. Tudigual