SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

domingo, 26 de setembro de 2010

OLHA O PAPO DO BICHO QUE ELE DÁ

O disco do Vavá é uma britadeira semântica poetética de influências que se confundem entre si, dó, cá e lá. Se no primeiro álbum, a preocupação era demonstrar essas influências pelos arranjos e orquestrações estudiólogas, nesse segundo exemplar a idéia é a mesma, mas com enfoque nas linhas das palavras escritas.

Os arranjos de Vavá e sua banda, o Toró de Palpite, permitem-se a poucas participações especiais. Com a banda enxuta, um power-trio de responsa – baixo e voz do próprio Vavá, guitarra do João Ferreira e bateria do Tiago Cunha (o Leander Motta tocou bateria em quase todas as faixas e o Barata em algumas outras) – apresenta idéias desde “O começo” do homem em “O trono” à uma visita ao dentista em “Da cárie”.

O disco abre com uma levada groove com Vavá cantando um pé-na-bunda amoroso, que se transforma numa explosão de riff roqueiro e matador, com legítimo sotaque brasiliense. Mas porque diabos o nome da canção foi “Macarrão com molho”? Esse é o Vavá. Desse jeito mesmo. Às vezes prolixo, reverente e referente, mas na maioria do tempo curto e grosso.

A faixa seguinte, “O sistema é bruto”, é um reggae dub-style com a voz da Indiana Nomma, descrevendo o mesmo pé-na-bunda amoroso, sob a visão feminina. Essa música traça um panorama bem parecido ao descrito por Chico Buarque em “Olhos nos olhos”, sob a visão de uma mulher moderna. Um belo esporro!!! Que fique bem claro que as influências agora são transmitidas nas entrelinhas, como em “seu corpo eu larguei pra vida e as lembranças mandei pro esgoto, junto às mágoas corrosivas”.

A faixa-título, “O papo do bicho”, é um ragga, que encontra um repente, que encontra um axé, que encontra um muffin – que é bolinho em inglês – só para se ter uma noção do que rola nas entrelinhas e na cabeça do Vavá, que tem algum cabelo e muitas idéias que lhe sobram. “Tota-tola” é a canção mais comercial e anti-comercial que já vi. Digo comercial no sentido de que devia ser o jingle oficial de todos os tempos, não só da Coca-cola, mas também do Ministério da Saúde, do PCC e até do Greenpeace ou WWF, ou coisa parecida.

“Arará” é um xote? É um reggae? Pelo toque da guitarra é um reggae, mas se isso não é um xote... Não sei, não... Mas o que importa é a letra que diz “a minha como há muito não fazia – o arará – e fez a minha, mas não fazia”. “Ai ai ai Niemai” foi inspirada no arquiteto que inventou as esquinas de Brasília, mas também quer falar do prato tradicional da culinária do inferno. Mas eu é que não vou comer isso aqui!

No esquema piscou-perdeu, você ouve várias vinhetas durante todo disco, e são elas que pontuam a intenção do disco. Quando percebi “Resolver” passou. Em “Mimo”, Vavá encerra o disco como mestre da bateria de caixinhas de fósforos e maestro do baixo. Um reggae-samba que é quase uma canção de mimar, seguida por mais uma breve vinheta, em “Poemeta distintiva”.

Vavá Afiouni e o Toró de Palpite fazem um rock que não é rock e que mistura reggae, com xote, com ragga, com groove e muito baixo. Mas ainda que seja um disco simples, é cheio de nuances e pequenos detalhes que até mesmo a inclusão de uma canção de Noel Rosa faz sentido no final das contas. Através das linhas que dizem “há de viver eternamente sendo escrava dessa gente que cultiva a hipocrisia”.

2010 O Papo do Bicho

1. Macarrão com molho
2. O sistema é bruto (& Indiana Nomma)
3. Tota-tola
4. O começo
5. O trono
6. Da cárie
7. Filosofia
8. Poemeta catapulta
9. O papo do bicho
10. Arará
11. Ai ai ai Niemai
12. Poemeta dialética
13. Resolver
14. Mimo
15. Poemeta distintiva

Abaixar

domingo, 19 de setembro de 2010

DO OUTRO LADO DO MURO COM ROGER WATERS

A primeira apresentação ao vivo do álbum ‘The Wall’ foi na turnê do Pink Floyd, do mesmo disco. Após deixar a banda, Roger Waters ainda apresentou o mesmo espetáculo em comemoração a queda do Muro de Berlim, com um monte de convidados.

Nesse ano, ele apresenta sua obra-prima, num espetáculo, que se aproveita da tecnologia disponível e enche os olhos do público com um muro tridimensional. A turnê ‘The Wall’ começou dia 15 de setembro no Canadá, depois vai aos Estados Unidos, México, Portugal, Espanha, Hungria, República Tcheca, Rússia, Finlândia, Noruega, Suécia, Dinamarca, Inglaterra, Irlanda, Bélgica, França, Suíça e encerra na Alemanha.

Roger Waters, o baixista, vem acompanhado por Graham Broad na bateria, Snowy White e Dave Kilminster e G.E Smith nas guitarras, Jon Carin e Harry Waters nos teclados e Robbie Wyckoff, Mark-Venice, Kipp-Venice e Michael Lennon nos vocais. Oxalá, soprem ventos que o tragam ao Brasil...

O público presente, nos shows do Canadá, registrou cada faixa e cada minuto da apresentação. Dá para assistir todo espetáculo pelas lentes do espectador comum e sentir um gostinho do que foi, do que será e do que é o ‘The Wall 2010’.

In the flesh?





The thin ice
Another brick in the wall (part 1)
The happiest days of our lives
Another brick in the wall (part 2)





Mother





Goodbye blue sky





Empty Spaces (What shall we do now)





Young lust





One of my turns
Don’t leave me now





Another brick in the wall (part 3)
The last brick in the wall (Empty spaces)
Goodbye cruel world





Hey you
Is there anybody out there?





Nobody home
Vera
Bring the boys back home





Comfortably numb





The show must go on





In the flesh





Run like hell





Waiting for the worms





Stop
The Trial





Outside the Wall





Roger Waters
2010 The Wall Live in Toronto


1. Outside the wall intro
2. In the Flesh?
3. The thin ice
4. Another brick in the wall (part 1)
5. The happiest days of our lives
6. Another brick in the wall (part 2)
7. Mother
8. Goodbye blue sky
9. What shall we do now
10. Young lust
11. One of my turns
12. Don't leave me now
13. Another brick in the wall (part 3)
14. The last brick in the wall (Empty spaces)
15. Goodbye cruel world
16. Hey you
17. Is there anybody out there?
18. Nobody home
19. Vera
20. Bring the boys back home
21. Comfortably numb
22. The show must go on
23. In the flesh
24. Run like hell
25. Waiting for the worms
26. Stop
27. The trial
28. Outside the wall

Abaixar

domingo, 12 de setembro de 2010

LA LUNE DE GORÉE C’EST LA LUNE DE LA DOULEUR

Já falei da Ligiana por aqui. Com um disco primoroso, cheio de simplicidade e delicadeza, ela despontou em 2009.

Nesse ano, ela lançou um vídeo pela internet, com a gravação de uma canção de Gilberto Gil e Capinam, ‘La lune de Gorée’, que fala da luta contra a escravatura através da Ilha de Gorée que se transformou em símbolo da exploração dos negros, e em 78 foi classificada como Patrimônio da Humanidade, por ter sido um dos principais pontos de comércio de escravos do continente africano.

Essa faixa tem produção da própria Ligiana em parceria do cantor senegalês Ameth Male, que também participou da gravação, junto com Alfredo Bello, o DJ Tudo no baixo, Edou Manga no cora, Marcel Martins no cavaco, Emiliano Castro no violão e Douglas Alonso na percussão.




La Lune de Gorée
Abaixar

A lua que se ergue
Na ilha de Gorée
É a mesma lua
Que se ergue em todo o mundo

Mas a lua de Gorée
Tem uma cor profunda
Que não existe
Em outras partes do mundo
É a lua dos escravos
É a lua da dor

Mas a pele que há
Nos corpos de Gorée
É a mesma pele que cobre
Todos os homens do mundo

Mas a pele dos escravos
Tem uma dor profunda
Que não existe de forma alguma
Em outros homens do mundo
É a pele dos escravos
Uma bandeira de liberdade

Pra quem é de Brasília... A Ligiana toca na cidade no dia 17 de setembro, sexta-feira (2010).

2009 De Amor e Mar

1. Conselheiro
2. Consideração
3. Se
4. Só se não for brasileiro nessa hora (& Marcelo Pretto)
5. Onda
6. Canto do caboclo Pedra Preta
7. Festa no olhar (& Philipe Baden Powell)
8. Queda por um samba
9. Chorando baixinho (& Hamilton Holanda)
10. Pandeiro do Brasil
11. Eu quero é botar meu bloco na rua (& Tom Zé)

Abaixar

domingo, 5 de setembro de 2010

MÚSICA PARA CASAMENTOS E FUNERAIS

Goran Bregovic despontou para a fama depois que compôs a trilha de ‘Tempo de Ciganos’ de Emir Kusturica. Depois concluiu a trilha para o filme do francês Patrice Chéreau, ‘A Rainha Margot’, e novamente com Kusturica em ‘Undergound – Mentiras de Guerra’, que ganhou a Palma de Ouro em Cannes.

Kusturica e Bregovic chamaram atenção tanto com o filme como com uma trilha sonora impecáveis, e apresentaram ao mundo o som que vinha da ex-Iuguslávia. Ambos sérvios, eles traçaram um panorama devastador sobre o país desmantelado, através de uma fábula moderna em tempos de guerra. Algumas críticas diziam que se Fellini houvesse feito um filme de guerra, esse filme seria ‘Underground’.



Bregovic ainda compôs a trilha sonora de ‘Gato Negro, Gata Branca’ para Kusturica, em parceria com a banda, ‘The No Smoking Orchestra’, que passou a assinar as trilhas dos futuros filmes do diretor. A partir daí, Bregovic começou uma bem sucedida carreira solo.

Tradicionalmente, as fanfarras apresentadas por Bregovic – nos filmes de Kusturica – são temas tradicionais que são amplamente utilizados nos Bálcãs, em festas de casamentos a funerais. Por esse motivo, a banda que Bregovic montou é intitulada de ‘Goran Bregovic e Orquestra para Casamentos e Funerais’ em sua tradução para o português.



Com essa verdadeira orquestra, ‘Goran Bregovic and His Wedding and Funeral Orchestra’ se apresentam em Brasília nesse domingo, no Museu da República. Apresentando uma legítima fanfarra cigana do leste europeu.

2008 Alkohol (Sljivovica & Champagne)

1. Yeremia
2. Paradehtika
3. Venzinatiko (Kustino oro)
4. On the back-seat of my car
5. Imagine
6. Truckers' song
7. Gas gas gas (Shantel vs. Bregovic)
8. Ruzica (Rose)
9. For Esma
10. Streets are drunk
11. Kerna mas
12. Na'tan ixara oikopedo (Borino oro)
13. Tis agapis sou to risko

Abaixar

2007 Goran Bregovic's Karmen (with a Happy End)

1. Uvertira
2. Gas gas
3. Savatone
4. Mashala mashala
5. Dikh mo vast
6. Pampur galbeno
7. Stop
8. Ne siam kurve tuke sijam prostitutke
9. Lumia sitoj I gurumni
10. Soske murseske manglape kurva
11. Focu di raggia
12. Me sam devla romani
13. Koferi
14. Bijav
15. Lamour

Abaixar

2002 Tales and Songs from Weddings and Funerals

1. Hop, hop, hop
2. Tale I (Grave disperato)
3. Aven ivenda
4. Sex
5. Tale II (Adagio poco febrile)
6. Maki, maki
7. Tale III (Lento arabesco)
8. So nevo si
9. Tale IV (Moderato melancolico)
10. Cocktail molotov
11. Tale V (Andante amoroso)
12. Polizia molto arabbita
13. Tale VI (Adagio delicato)
14. Te kuravle
15. Tale VII (Vivo con fuoco)

Abaixar

2001 Daj mi Drugie Zycie (& Krawczuk)

1. Moj przyjacielu
2. Platna mitosc
3. Daj mi drugie zycie
4. Cicho serce moje
5. Slady na piasku
6. Ojda, ojda
7. Witaj gosciu
8. Dzika Jasmina
9. Kochaj
10. Gdybys byta moja

Abaixar

2000 Songbook

1. Song for Elena
3. Get the money (& Iggy Pop)
4. Le matin
5. Gul (& Sezen Aksu)
6. Kalasnjikov
7. Elo hi (& Ofra Haza)
8. TV screen (& Iggy Pop)
9. Ederlezi
10. American dreamers (& Johnny Depp)
11. Venzinadiko (Gas station)
12. Mesecina (Moonlight)
13. 100 lat młodej parze (& Kayah)
14. Ausencia (& Cesária Évora)
15. Man from Reno (& Iggy Pop)

Abaixar

2000 Balkanica

1. Kalasnjikov
2. Borino oro
3. Elo hi (Canto nero)
4. Kustino oro
5. Ederlezi
6. Talijanska
7. Wedding-cocek
8. Tango
9. Man from Reno
10. Lullabye

Abaixar

1999 Kayah & Bregovic

1. Spij kochanie, spij
2. To nie ptak
3. 100 lat młodej parze
4. Byłam rozą
5. Trudno kochac
6. Prawy do lewego
7. Ta-bakiera
8. Caje sukarije
9. Jesli Bog istnieje
10. Nie ma, nie ma ciebie

Abaixar

1999 Thessaloniki-Yannena with Two Canvas Shoes (& Giorgios Dalaras)

1. Sou axize mia kaliteri agalia
2. Ki an se thelo
3. Me lene Popi
4. Ena tragoudi gia tin Eleni F.
5. Nihta
6. To tragoudi tis vrohis
7. Tis agapis sou to risko
8. Kerna mas
9. Pou na 'se tora, Anna
10. Martira ta (Lubenica)

Abaixar

1999 Irish Songs

1. Ev chistr 'ta, Laou!
2. The landlord's walk
3. Worship
4. Le lys vert (La bottine souriante)
5. Stolen child
6. Nelson Mandela's welcome to the city of Glasgow
7. An innis aigh (The rankins)
8. Daos-tro Fisel (Dance from the Fisel country)
9. Stormcry
10. Farewell to Ireland
11. Marches (From the Vannes country)
12. A mhairi bhoidheach
13. Callow lake
14. My home
15. Lullaby

Abaixar

1998 Silence of The Balkans

1. Silence 1
2. Delicious solitude
3. Train
4. Silence 2
5. Wedding
6. Ederlezi
7. Silence 3
8. Chupchik
9. Babylon
10. Green thought
11. Silence 4
12. Mocking song

Abaixar

1998 Ederlezi

1. La nuit
2. Ederlezi (scena durdevana na rijeci)
3. Mesecina (moonlight)
4. TV screen (& Iggy Pop)
5. 7-8 & 11-8
6. Ausência (& Cesária Évora)
7. Cajesukarije
8. Kalasnikof
9. Elo hi
10. Death
11. Dreams
12. American dreamers (& Johnny Depp)
13. Talijanska
14. Man from Reno (& Scott Walker)
15. Lullabye
16. Undergound tango
17. Ederlezi

Abaixar

1998 Chat Noir Chat Blanc OST (& Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra)

1. Bubamara (Main version)
2. Duj sandale
3. Railway station
4. Jek di Tharin II (New version)
5. Daddy don't ever die on a Friday
6. Bubamara (Vivaldi version)
7. Daddy’s gone
8. Long vehicule
9. Pit Bull (Mix Pink Evolution)
10. El Bubamara pasa
11. Ja volim te jos meine stadt
12. Bubamara (Tree stump)
13. Jek di Tharin
14. Lies
15. Hunting
16. Dejo dance
17. Bulgarian dance
18. Bubamara (Sunflower)
19. Black cat white cat

Abaixar

1997 Dugun ve Cenaze (& Sezen Aksu)

1. O sensin
2. Allah'ın varsa
3. Kasım yagmurları
4. Hıdrellez
5. Dugun
6. Erkekler
7. Gül
8. Helal ettim hakkımı
9. Ayışıgı
10. Kalasnikof

Abaixar

1997 La Reine Margot OST

1. Elo hi
2. Rondinella
3. La nuit de la Saint Barthelemy
4. Le Matin
5. Lullaby
6. Ruda neruda
7. U te sam se zaljubija
8. La chasse
9. Margot
10. Rencontre
11. Marguerite de Valois et Henri de Navarre
12. Le mariage
13. La nuit
14. Elo hi

Abaixar

1995 Underground OST

1. Kalasnjikov
2. Ausencia (& Cesária Évora)
3. Mesecina (Moonlight)
4.. Ya ya (Ringe ringe raja)
5. Cajesukarije
6. Wedding
7. War
8. Underground
9. Underground tango
10. The belly button of the world
11. Sheva
12. Kustino oro (Undergound)

Abaixar

1993 Arizona Dream OST

1. In the deathcar (& Iggy Pop)
2. Dreams
3. Old home movie
4. TV screen (& Iggy Pop)
5. 7/8 & 11/8
6. Get the money (& Iggy Pop)
7. Gunpowder
8. Gypsy reggae
9. Death
10. This is a film (& Iggy Pop)
11. Man from Reno (& Scott Walker)
12. American dreamers (& Johnny Depp)

Abaixar

1991 Paradextika (& Alkistis Protopsalti)

1. Mauro xioni
2. Venzinadiko (Kustino oro)
3. Theos an einai
4. Paradextika
5. Orkos
6. Toy Ai Giorgi (Ederlezi)
7. Natan I xara oikopedo (Borino oro)
8. Triantafillaki
9. S'agapo
10. Pira xari

Abaixar

1988 Le Temps des Gitans OST

1. Ederlezi
2. Scena pojavljivanja majke
3. Scena perhanove pogibije
4. Kustino oro
5. Borino oro
6. Glavna tema
7. Tango
8. Pjesma
9. Talijanska
10. Ederlezi (Large version)

Abaixar

1976 Goran Bregovic

1. Ti nikad neces znati srce jedne zene
2. Sta cu nano, dragi mi je ljut
3. Cekala sam
4. Ko zna reci
5. Kad bi' bio bijelo dugme
6. Ima neka tajna veza
7. Na vrh brda vrba mrda
8. Ja i zvezda sjaj
9. U subotu, mala
10. Hop cup

Abaixar