SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

sábado, 26 de julho de 2008

OLHA A GARRAFADA! OLHA A GARRAFADA!

A professora andou até a primeira fila de cadeiras de alunos e disse, “um, dois, três, Joãozinho venha ao ‘quatro’ negro?”. Joãozinho respondeu, “fessora ‘cinco’ muito, mas eu não ‘seis’ nada”.

_ Então ‘sete’-se aí, ordenou a professora.

_ Ah, não? ‘Oita’ vez? ‘Nove’amente? Eu vou ‘dez’cer, retrucou Joãozinho.

Depois de alguns minutos Joãozinho volta para a sala de aula, e a professora lhe pergunta, “‘onze’ você foi?”.

_ Fui ali tomar uma ‘doze’, respondeu Joãozinho.

_ Você ‘treze’ pra mim? – Perguntou a professora.

_ Eu ‘catorze’, mas a senhora não ‘quinze’...

Essa piada foi há um tempo, motivo para muitas risadas na época dos shows da banda ‘Os Cachorros das Cachorras’. Pois foi com o velho ‘11 você tá?’ que o Alfredo quebrou o gelo de quase 10 anos sem nos encontrarmos.

O Alfredo, pra quem não sabe, é o Alfredo Bello do selo ‘Mundo Melhor, e já foi o Alfredog Soriano no baixo dos ‘Cachorros', e hoje também responde por DJ Tudo. Personagem que incorpora para discotecar um ‘dance macumba’ nas noites desse país.

‘Dance macumba’ é o termo usado pelo percussionista Robertinho Silva para definir o estilo de som que Alfredo proporciona nas noites. Robertinho toca com Alfredo no 'Batucajé’, projeto percurssivo com Jadna Simmerman e Simone Sou, que também toca com Alfredo no 'Projeto Cru’.

O Alfredo estava programado para discotecar duas noites na cidade e tinha pouco tempo para encontrar os amigos e tantos outros conhecidos na velha cidade de guerra. A primeira noite de som foi num café meio bistrô que tem tradição de entreter os convidados com um lounge de primeira categoria. Mas segundo o próprio Alfredo, “essa foi uma discotecagem mais emocional, porque eu encontrei tanta gente que não via há muitos anos”.

O Alfredo partiu de Brasília, após se formar em música na universidade’, para viver em São Paulo o sonho de viver de música. Nesses quase 10 anos em que viveu em São Paulo, Alfredo fez gravações de inúmeras expressões populares, como congado, maracatu rural, entre outras. Assim como rituais religiosos como o do caroço no Maranhão e dos índios Pankararu de Pernambuco.

Alfredo se diz marqueteiro porque na sua discotecagem ele toca, quase que exclusivamente, os sons captados pelo selo que criou. E na segunda noite de apresentação, Alfredo montou um time de grandes músicos da cidade, para juntos apresentarem o repertório, quase que completo, do disco Garrafada, recém lançado pelo selo Mundo Melhor.

O disco Garrafada é quase uma compilação de várias coisas produzidas por Alfredo, desde que mudou-se para São Paulo. O disco tem muitas parcerias e desde algumas faixas produzidas recentemente, como outras mais antigas. Mas é um apanhado de grooves e ritmos que podem muito bem ser definidos como ‘dance macumba’. E já que o grande mestre Robertinho insiste?

Alfredo começou a usar o nome DJ Tudo nas festas do ‘Afro-Futurismo’, para tentar explicar o estilo de discotecar usando ‘músicas de resgate’. Eu digo ‘músicas de resgate’ porque não é costume das grandes gravadoras fazerem esse tipo de registro e quando fazem é apenas com o intuito de resgate da expressão cultural. Com isso digo que no Brasil não existe a tradição de preservar a própria cultura. A grande maioria do público não conhece tais expressões populares, deixando claro que o Brasil não conhece o Brasil. Por isso as festas do ‘Afro-Futurismo’ causavam tanta estranheza no público e as mais diferentes reações. Tinham os poucos que adoravam o ‘dance macumba’, enquanto outros surtavam com ‘essa tal de música de candomblé’.

O show do Alfredo, na segunda noite, foi um deleite para os ouvidos. Se não fosse a péssima acústica do lugar, o público poderia ter curtido muito mais. E a estranheza do público com esse tipo de som, que acontecia nas edições da festa ‘Afro-Futurismo’, não aconteceu nesse show. Houveram poucos momentos de estranheza no show da segunda noite, mas no geral o saldo foi positivo e o show foi um sucesso.

Pôxa vida! Os caras ensaiaram na passagem de som e contaram com uma acústica terrível, e umas faixas exageradamente complexas. “As minhas músicas são um samba goiano, como dizem em São Paulo”, avisou Alfredo. E isso porque as entradas de voz nunca seguem o mesmo padrão entre a primeira e segunda parte da música.

O som do Alfredo é uma loucura, só mesmo vendo o show para entender. Então se você não baixar esse disco, eu não ‘dezesseis’ o que vai ser de você.

Por isso ‘dezessete’-se aí e preste atenção no que digo ‘dezoita’vez, porque não vou falar ‘dezenove’amente.

Faça o donwload logo e seja um bom ou’vinte’.

2008 Garrafada

1. Abertura
2. Nossa África
3. Baião de Viola/ É o dedo (com Solymar Cunha)
4. Hilaria (com Luiz Gayotto e Simone Sou)
5. Batucajé (com grupo Batucajé)
6. Rap do Rosário (com a Guarda de Moçamboque da Nova Gameleira)
7. Se ver que vai (com Junio Barreto)
8. Por um Mundo Melhor
9. Verdelinho das Alagoas (com O Grande Barco)
10. Mangangá (com Chico Correa & Eletronic band e Marcelo Monteiro)
11. Em cima daquela serra (com Lourdes de Anora e índios Pankararu)
12. Caniço pensante (com Thera Blue)
13. Desabarágua (com Gero Camilo)

Baixe aqui pelo Eu Ovo

sábado, 19 de julho de 2008

MOTOR CITY FIVE E BLAH E BLEH E BLUH!

O MC5 pode ser considerado quase como um precursor do punk, por causa das distorções das guitarras. O som é tão barulhento e tão pesado que não parece ter sido feito no final dos anos 60 e início dos 70. Quem ainda não conhece prepare-se para ouvir bem alto e estourar os alto-falantes, todos os cristais e arrebentar seus tímpanos.

Eles gravaram vários discos ao vivo e também existem inúmeros bootlegs por aí, e não há o que mais dizer sobre essa banda maravilhosa, que já não foi dito. Para uma biografia completa, vejam no blogui Portfólio-X, inclusive são de lá dois links abaixo.

1966 ’66 Breakout

1. Looking at you
2. Black to comm
3. I just don't know
4. Little red riding grmph
5. I don't mind
6. Break time
7. One of the guys
8. Look at what you done done
9. Baby please don't go
10. I'm a man
11. I can only give you everything

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1967 First Unitarian Church

1. I want you
2. Starship
3. I believe to my soul
4. Back to comm.

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1968 Live at The Sturgis Armory

1. Ramblin’ rose
2. Kick out the jams
3. Come together
4. Revolutionary blues
5. I'm the man for you (Rama lama)
6. James Brown medley
7. Upper Egypt
8. Tutti frutti
9. Borderline
10. Born under a bad sign

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1969 Kick out The Jams

1. Ramblin’ rose
2. Kick out the jam
3. Come together
4. Rocket reducer n°62
5. Borderline
6. Motor city is burning
7. I want you right now
8. Starship

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1970 Back in The USA

1. Tutti frutti
2. Tonight
3. Teenage lust
4. Let me try
5. Looking at you
6. High school
7. Call me animal
8. The american ruse
9. Shakin’ street
10. The human being lawnmower
11. Back in the USA

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1970 Live at The Saginaw Civic Centre

1. Intro/ Ramblin' rose
2. The human being lawnmower
3. Tonight
4. Rama lama fa fa fa
5. It's a man's man's world
6. Teenage lust
7. Looking at you
8. Fire of love
9. Shakin' street
10. Starship
11. Kick out the jams
12. Black to comm.

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1970? Outtakes & Demos & Live Oddities

1. Baby wont ya (1970 unreleased version)
2. Sister Ann (With Sonic on vocals)
3. I'm mad like Eldridge Cleaver (1968)
4. Ice pick slim (1968)
5. Train music
6. The pledge song
7. Baby please don't go
8. Looking at you
9. Power trip

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1970 Teen Age Lust

1. Intro/ Ramblin’ rose
2. The human being lawnmower
3. Tonight
4. Rama lama fa fa fa
5. It's a man's man's man's word
6. Teen age lust
7. Lookin at you
8. Fire of love
9. Shakin' street
10. Starship

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1971 High Time

1. Sister Anne
2. Baby wont ya
3. Miss X
4. Gotta keep movin’
5. Future now
6. Poison
7. Over and over
8. Skunk (Sonicly speaking)

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1971 Babe in Arms

1. Shakin’ street
2. American ruse
3. Skunk (Sonically speaking)
4. Tutti frutti
5. Poison
6. Gotta keep moving
7. Tonight
8. Kick out the jams
9. Sister Ann
10. Future now
11. Gold
12. I can only give you everything
13. One of the guys
14. I just don't know
15. Looking at you

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1972 Thunder Express

1. Kick out the jams
2. Empty heart
3. Ramblin’ rose
4. Thunder express
5. Rama lama fa fa fa
6. Motor city is burning
7. I can only give you everything
8. I just don't know

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1995 Power Trip

1. Looking at you (Instrumental version)
2. I'm mad like Eldridge Clearver
3. Back to Comm
4. The pleadge song
5. Head sounds (Part 2)
6. Power trip
7. I put a spell on you
8. Born under a bad sign
9. I want you

Baixe aqui pelo Eu Ovo

sábado, 12 de julho de 2008

A SANTÍSSIMA TRINDADE DO ROCK NACIONAL

Santíssima Trindade era um dos primeiros nomes da banda que conhecemos como ‘O Terço’. No primeiro compacto a banda tinha, Segio Hinds na guitarra, Jorge Amiden, na tritarra, Cézar de Mercês no baixo e Vinícius Cantuária na bateria. Com essa formação eles gravaram dois compactos e o disco de estréia, ‘O Têrço’.

Como um trio, o grupo lançou mais um compacto e o segundo álbum, que tinha a participação de Luiz Paulo Simas nos teclados. Sergio Magrão assumiu o baixo um ano antes do antológico ‘Criaturas da Noite’, que foi o terceiro disco da banda e também já contava com Flávio Venturini nos teclados.

Com Flávio Venturini a banda gravou mais um disco, ‘Casa Encantada’, relançou o disco clássico em inglês, ‘Creatures of the Night’ e ainda existe um bootleg desse período gravado no Teatro Philadelphia. Flávio Venturini e Sérgio Magrão saíram da banda para formarem o ‘14 Bis’, e para ocupar o lugar deixado por eles vieram Cézar de Mercês, que voltou para empunhar uma guitarra e Sérgio Caffa que foi para o baixo.

E com essa formação, e ainda com a participação de Sergio Magrão no baixo em algumas faixas, eles gravaram o disco ‘Mudança de Tempo’. Depois disso a banda quase parou com a debandada de todos integrantes.

Sérgio Hinds, que foi o único integrante original que se manteve na banda, montou novamente ‘O Terço’ com Ruriá Duprat nos teclados, Zé Portugal no baixo e Franklin Paollillo na bateria. Com essa formação eles gravaram o disco ‘Som Mais Puro’.

Desta vez a banda ficou inativa por quase 10 anos, quando gravou outro disco homônino em 1990. Esse disco foi uma decepção tanto para a crítica como para o público e a capa do disco ganhou da revista Bizz o título de pior capa de disco do ano.

Depois desse disco a banda continuou com Sérgio Hinds alternando entre várias formações nos discos ‘Time Travelers’ que voltava às origens progressivas, ‘Live at Palace’ que foi gravada com a ‘Orquestra Sinfônica Juvenil de São Paulo’, ‘Compositores’ onde o grupo gravou canções de vários compositores, ‘Spiral Word’ que seguia uma linha jazz-fusion, e ‘Tributo a Raul Seixas’ que dispensa comentários.

Em 2001, Flávio Venturini convidou seus antigos parceiros de banda, Sérgio Hinds, Cézar de Mercês, Luiz Moreno e Sérgio Magrão, para participarem de um show em São Paulo. A idéia de gravar um disco ao vivo e com algumas músicas inéditas nasceu desse encontro. Mas Luiz Moreno morreu de parada cardíaca no ano seguinte, o que impediu temporariamente o retorno da formação clássica.

Em 2004, o grupo voltou a ensaiar como um trio, com Venturini nos teclados, Magrão no baixo e Hinds na guitarra. Para ocupar o lugar do falecido Luiz Moreno, foi chamado o baterista Sérgio Melo. ‘O Terço’ gravou um concerto realizado em 2005 e lançado apenas em 2007. Também existe um bootleg do ensaio para o disco ao vivo, gravado no mesmo ano do show.

1970 Compacto

1. Velhas histórias
2. Tributo ao sorriso

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1970 O Têrço

1. Na
2. Plaxe voador
3. Vesúvio
4. Longe sem direção
5. Flauta
6. I need you
7. Antes de você... Eu
8. Imagem
9. Meia noite
10. Saturday dream
11. Velhas histórias
12. Ho Suzana
* Faixas bônus de outros discos do Terço
13. Crucis
14. Gente do interior
15. Mudança de tempo
16. Blues do adeus
17. Saturday dream (Ao vivo)

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1971 Compacto

1. Visitante
2. Adormeceu
3. Doze avisos
4. Mero ouvinte
5. Trecho da ária extraída da suíte em ré maior de Bach

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1972 Compacto

1. Ilusão de óptica
2. Tempo de vento

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1973 Terço

1. Deus
2. Você aí
3. Estrada vazia
4. Lagoa das lontras
5. Rock do Elvis
6. Amanhecer total

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1975 Criaturas da Noite

1. Hey amigo
2. Queimada
3. Pano de fundo
4. Ponto final
5. Volte na próxima semana
6. Criaturas da noite
7. Jogo das pedras
8. 1974

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1975 Teatro Philadelphia Ao Vivo

1. 1974
2. Sangue novo
3. Solaris
4. Velho silêncio
5. Suíte
6. Rock do Elvis
7. Pano de fundo
8. Ponto final
9. Queimada
10. Imensidão azul
11. Tributo ao sorriso
12. Rock do Elvis (Reprise)
13. Hey amigo

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1976 Casa Encantada

1. Flor de la noche
2. Luz de vela
3. Guitarras
4. Foi quando eu vi aquela lua passar
5. Sentinela do abismo
6. Flor de la noche II
7. Casa encantada
8. Cabala
9. Solaris
10. O vôo da Fênix
11. Pássaro

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1976 Compacto

1. Field on fire
2. Shining days, summer nights

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1976 Creatures of the Night

1. Friend
2. Fields on fire
3. Back drop
4. Ending
5. I’ll come back
6. Shining days, summer nights
7. Stones
8. 1974

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1977 Compacto

1. Amigos
2. Barco de pedra

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1978 Mudança de Tempo

1. Não sei não
2. Gente do interior
3. Terças e quintas
4. Minha fé
5. Mudança de tempo
6. Descolada
7. Pela rua
8. Blues do adeus
9. Hoje é domingo

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1982 Som Mais Puro

1. Viajante noturno
2. Linda imagem
3. Asa delta
4. Suíte
5. Coração cantador
6. Tambores da mente
7. Nunca duvidar
8. Luzes

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1990 O Terço

1. Última geração
2. Alienígena
3. Metamorfose ambulante
4. Prisioneiro
5. Tudo muito simples
6. Sonho
7. Hey Joe
8. Rap
9. Liquidação
10. Girando lâmpada

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1992 Time Travellers

1. Space
2. The last journey
3. Time travelers
4. Crucis
5. Lost in time affaire
6. The rhythm of the universe
7. Marear
8. The guardians
9. Suíte

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1994 Live at Palace

1. Space
2. 1974
3. The last journey
4. Lost in time affaire
5. Criaturas da noite
6. The rhythm of the universe
7. Crucis
8. Luzes
9. Metamorfose ambulante
10. Hey amigo
11. Suíte

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1996 Compositores

1. Time
2. PS apareça
3. Sangue latino
4. Folhas secas
5. Poeira
6. Mágica
7. Quem mata a mulher mata o melhor
8. Mundaréu
9. O braço da minha guitarra
10. Deus
11. Mãe Terra
12. As vezes
13. Menino da rua
14. Prazer e fé
15. Elza

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1998 Spiral Words

1. Smile in a wave
2. Sete
3. The song
4. Beyond the real
5. My universe
6. Crucis
7. O homem do tempo
8. Spiral words
9. Balão
10. Pregnant
11. 1974

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1999 Tributo a Raul Seixas

1. Eu nasci há dez mil anos
2. Roxixe
3. Maluco beleza
4. Sociedade alternativa
5. Rock das aranha
6. Al Capone
7. Como vovó já dizia
8. Gitã
9. Aluga-se
10. Mosca na sopa
11. Metamorfose ambulante
12. Trem das sete

Baixe aqui pelo Eu Ovo

2005 Ensaio

1. Intro
2. 1974
3. Tributo ao sorriso
4. Guitarras
5. PS apareça
6. Jogo das pedras
7. Queimada
8. Quando eu vi aquela lua passar
9. Pássaro
10. Flor de la noche II
11. Casa encantada
12. O vôo da Fênix
13. Ponto final
14. Sentinela do abismo
15. Criaturas da noite
16. Suíte
17. Cabala
18. Hey amigo

Baixe aqui pelo Eu Ovo

2007 Ao Vivo

1. Introdução
2. 1974
3. Tributo ao sorriso
4. Guitarras
5. PS apareça
6. Pássaro
7. Casa encantada
8. O vôo da Fênix
9. Ponto final
10. K
11. Sentinela do abismo
12. Criaturas da noite
13. Suíte
14. Cabala
15. Antes do sol chegar
16. Entrevista com Sérgio Hinds
17. Entrevista com Sérgio Magrão
18. Entrevista com Flávio Venturini

Baixe aqui a Parte 1 pelo Eu Ovo
Baixe aqui a Parte 2 pelo Eu Ovo

sábado, 5 de julho de 2008

R2D2 – O FILME, ou STEVE JOBS x BILL GATES, ou mais ainda O DIA EM QUE A PIXAR ENGOLIU A DISNEY

A história do estúdio de animação Pixar pode também ser considerada como uma resposta de Steve Jobs da Apple, para Bill Gates da Microsoft.

Steve Jobs revolucionou o mundo dos micro-computadores com a empresa Apple, que existe até hoje. Antigamente, nenhuma casa possuía computador, eles eram gigantescos. Foi essa tecnologia da Apple que permitiu que os computadores pudessem ser peças de uso pessoal.

Em uma visita a Xerox, Jobs aproveitou o desinteresse e a falta de visão dos executivos dessa empresa e praticamente roubou a interface criada pelos funcionários da Xerox, o conhecido atualmente como mouse foi criação desta empresa.

Bill Gates, que na época fazia software para a IBM, visitou Jobs com a promessa de criar softwares especialmente para a Apple, concorrente da IBM. Foi aí que Gates se tornou um mostro sagrado da informática, ao roubar de Jobs, a tecnologia que ele já havia se apoderado da Xerox.

A partir daí os ‘personal computers’ (PC), como Gates chamou sua cópia do Apple, se tornaram extremamente populares por causa dos softwares desenvolvidos pela Microsoft, empresa de Gates.

Até hoje em dia os PCs são muito mais vendidos do que os micros da Apple, e o império de Gates, com a Microsoft, só cresceu. Enquanto isso, Steve Jobs teve ainda que assistir a Microsoft comprar parte da Apple e viu sua hegemonia no mundo da informática cair por terra.

Aí que entra o pulo do gato, quando Jobs comprou a Pixar, que era uma divisão da LucasFilm, por 10 milhões de dólares em 1986. Muitos dizem que essa foi uma das decisões mais idiotas da história do cinema, por parte da LucasFilm. A divisão da LucasFilm havia feito um curta-metragem em animação em computador, muito bem recebido pela crítica especializada, ‘As aventuras de André e Wally B.’.

O primeiro passo da Pixar foi com o curta-metragem em animação ‘Luxo Jr.’, aquele da luminária que aparece na logomarca da empresa. Depois a Pixar aprimorou a técnica de animação por computador com outros curtas, como Red’s Dream’, do triciclo vermelho, ‘Tin Toy’ que serviu de inspiração para o longa ‘Toy Story’ e ‘Knick Knack’.

O próximo passo foi o primeiro longa totalmente feito por computador, ‘Toy Story’, que marcou também o início do contrato com a Disney. Esse filme representou para a Disney a saída de um buraco, onde os filmes que sucederam ‘O Rei Leão’ não faziam sucesso como antigamente, como ‘Pocahontas’, ‘O Corcunda de Notre Dame’, ‘Hercules’ e ‘Mulan’.

Na seqüência a Pixar apresentou ‘Vida de Inseto’, ‘Toy Story 2’ e ‘Monstros S/A’, superando todos lançamentos da própria Disney. Com a criação do Oscar® exclusivo de longa-metragem em animação, a Pixar ganhou uma das primeiras estatuetas com a fábula no fundo do mar, ‘Procurando Nemo’, ‘Shrek’ foi o primeiro filme em animação a ganhar o Oscar® nessa categoria.

Após o estrondoso sucesso do filme do peixe-palhaço, a Pixar apostou todas as fichas em uma aventura adulta, ‘Os Incríveis’, que apesar de ter ganho o Oscar® de melhor filme em animação, não agradou tanto as crianças, mas também não fez feio nas bilheterias.

Carros’ que representava a volta de John Lasseter, na direção de animações, ele havia dirigido os três primeiros longas-metragens da Pixar. O filme não fez bonito com a crítica, mas agradou em cheio as crianças, com a história da rota perdida no meio dos Estados Unidos. Porém, o Oscar® desse ano foi para a animação do pingüim dançarino, ‘Happy Feet’.

Acontece que o contrato da Pixar com a Disney previa seis longas-metragens em animação, e com ‘Carros’ chegava o fim da parceria. A partir daí a Pixar iria alçar vôos mais altos e provavelmente ocupar o lugar da Disney como companhia hegemônica de filmes para crianças.

Foi então que a Disney comprou a Pixar por sete bilhões e meio de dólares, e transformou Steve Jobs no maior acionista individual da própria Disney. Foi assim que Steve Jobs deu a volta por cima e mostrou ao ex-concorrente, Bill Gates, que a criatividade pode não render fortunas como a da Microsoft, mas traz muito mais prestígio e reconhecimento.

Hoje em dia é a Pixar que dita as regras para a própria Disney, que por pouco não virou uma divisão do próprio império. A Pixar ganhou o Oscar® de animação com ‘Ratatouille’, que também agradou as crianças e foi um estrondoso sucesso de bilheteria. E atualmente prepara o lançamento de ‘Toy Story 3’ e ‘Carros 2’, além de outras obras inéditas.

O filme novo da Pixar é uma história de amor inusitada, contada através de ruídos e barulhinhos do robô, ‘Wall-E’, que significa ‘Waste Allocation Load Lifters - Earth Class’ e em português ‘Elevador de Detritos – Classe Terra’.

O filme é mais uma fábula sobre a capacidade humana de destruir o planeta, e sobre a capacidade do robô Wall-E de se apaixonar pela cultura dos humanos e pela robô EVA, ‘Examinadora de Vegetação Alienígena’ em português.

O filme possui poucos diálogos e toda a comunicação entre os robôs, foram feitas com os barulhinhos orquestrados pelo mago dos efeitos sonoros, Ben Burt, que criou o som dos dinossauros de Spielberg nos três filme do ‘Parque dos Dinossauros’, e nada menos que o som dos sabres de luz, das naves e do robô R2D2 da saga ‘Star Wars’.

É impossível assistir ‘Wall-E’ e não pensar no R2D2 – mas mantenha o respeito... No mínimo os Oscar® de melhor efeitos sonoros e animação em longa-metragem estão garantidos para a Pixar. Toma mais essa Sr. Gates! E bem no ano de sua tão sonhada aposentadoria... O filme ‘Wall-E’ é um colírio para os olhos, cheio de referências a filmes de ficção científica, bem como belas imagens da saga do pequeno robô que amava o planeta terra.

Na batalha dos egos, de dois magos da informática, Steve Jobs leva a melhor. Por causa de sua inventividade, tanto no mundo da informática, com a criação dos primeiros Apple, como no mundo da animação, onde a Pixar reina hegemônica.

É impossível pensar em um filme ruim da Pixar. Os filmes da Pixar são como sexo, mesmo quando são ruins, são muito bons. E a Pixar não costuma fazer filmes ruins.

Por isso fiquem com a trilha sonora do novo filme da Pixar, ‘Wall-E’.

2008 Wall-E

1. Put on your sunday clothes (Michael Crawford)
2. 2815 A.D.
3. Wall-E
4. The spaceship
5. EVE
6. Thrust
7. Bubble wrap
8. La vie en rose (Louis Armstrong)
9. Eye surgery
10. Worry wait
11. First date
12. Eve retrieve
13. The Axiom
14. BNL
15. Foreign contaminant
16. Repair ward
17. 72 degrees and sunny
18. Typing bot
19. Septuacentennial
20. Gopher
21. Wall-E’s pod adventure
22. Define dancing
23. No splashing no diving
24. All that love’s about
25. M-O
26. Directive A-113
27. Mutiny!
28. Fixing Wall-E
29. Rogue Robots
30. March of the gels
31. Tilt
32. The holo-detector
33. Hyperjump
34. Desperate Eve
35. Static
36. It only takes a moment (Michael Crawford)
37. Down to Earth (Peter Gabriel)
38. Horizon 12.2

Baixe aqui pelo Eu Ovo