SALVE EUOVO!!!

Sempre houve a intenção de transformar o blogui em site, rádio on-line e tudo mais. Mas para esta tarefa é necessário suporte financeiro.

Para isso o blogui abre esta campanha de financiamento colaborativo que vai garantir a manutenção e quiçá sua transformação em site etc.

Sua contribuição vai ajudar a manter postagens semanais sobre os mais variados artistas com álbuns em download gratuito, dicas sobre discos a baixar, podcasts, novos lançamentos em streaming, retrospectivas e listas de melhores discos de cada ano – incluíndo listas de melhores álbuns dos anos passados como por exemplo 1964, 1999, 1986, 1971 entre outros anos.

Por isso o blogui encerra este período de hiato na esperança de alcançar o aporte financeiro necessário para dar continuação aos trabalhos por mais um ano.

Então para manter o blogui ativo... Siga o site vakinha e contribua neste processo.

Quando atingirmos a meta... Vamos dobrar a meta... E ai quem sabe? Venha um site... Uma radio on-line... Canal no youtube... E tudo mais... Valeu!!!

segunda-feira, 30 de abril de 2007

JE SUIS ROGER

Roger Waters realmente andou sumido no final dos anos 80 e anos 90, ou faltava uma evolução na carreira dos assessores de imprensa. A verdade é que a utilização de assessoria de imprensa virou uma prática mais comum no final dos anos 90 e agora, nos anos 2000. Antes, a atuação dos assessores de imprensa não era tão usada por artistas. Com o crescimento da internet, essa lacuna precisou ser preenchida.

A partir de então, a carreira de alguns artistas, que estava esquecida, tomou novos rumos. Roger Waters é um exemplo, depois de acabar com o Pink Floyd, Waters, lançou o excelente disco, The Prós and Cons of Hichhicking (Os Prós e Contras de Pedir Carona), que tinha Eric Clapton na guitarra, mas o disco não recebeu muita atenção da mídia. O mesmo aconteceu com os outros integrantes do Pink Floyd, que receberam atenção da mídia, somente após lançarem um disco sem Waters, utilizando o nome da antiga banda.

Pode até ser que Waters tenha ganhado atenção da mídia européia, mas no final dos anos 80, só se ouvia falar dos outros integrantes do Pink Foyd. Waters só foi comentado na mídia com a queda do muro de Berlim, quando lançou o show beneficente, The Wall in Berlin. Recentemente a mídia tem dado bastante atenção ao ex-baixista do Pink Floyd. Isto é uma prova que a assessoria de imprensa evoluiu nos últimos anos e se tornou uma especialização da comunicação social, como o jornalismo, publicidade e marketing.

Em 2005, Waters lançou uma ópera de verdade, baseada em uma história da Revolução Francesa. Waters se apaixonou pelo tema, quando Etienne Roda-Gil, compositor francês, mostrou-lhe um livreto sobre a revolução francesa e pediu autorização para usar algumas músicas de Waters. Roger decidiu compor todo material, mas interrompeu o trabalho após a morte da mulher de Etienne, Nadine.

Ça Ira demorou 16 anos para ficar pronta, significa, “eu farei” ou “tudo vai terminar bem”, e foi a primeira ópera com orquestra completa e com vocais que Roger Waters compôs. Todas as letras e músicas são de Waters, os arranjos de Rick Wentworth e Waters, e os personagens são interpretados pelo baixo-barítono, o galês Bryn Terfel, a soprano Ying Huang, os tenores Paul Groves, e Senegalese, e com participação de Jamie Bower e Helen Russill.

Roger Waters, enfim, voltou à mídia e não apenas através de suas causas humanitárias. Também em 2005, Waters, tocou a lado de Eric Clapton, para ajudar as vítimas do tsunami asiático. Waters, agora está em sua turnê muito bem sucedida, que inclusive passou pelo Brasil, na qual toca grandes clássicos de sua carreira e do Pink Floyd.

2005 Ça Ira (There is Hope)

Disc 1 - Part 1
1. The gathering storm
2. Overture
3. A garden in Vienna 1765
4. Madame Antoine madame Antoine
5. Kings sticks ans birds
6. Honest bird simple bird
7. I want to be king
8. Let us break all the shields
9. The grievances of the people
10. France in disarray
11. To laugh is to know how to live
12. 'Slavers, landlords, bigots at your door
13. The fall of the bastille
14. To freeze in the dead of night
15. So to the streets in the pouring rain
16. Dances and marches
17. Now hear ye!
18. Flushed with wine
19. The letter
20. My dear cousin bourbon of Spain
21. The ship of state is all at sea
22. Silver, sugar and indigo
23. To the Windward isles
24. The papal edict
25. In Paris there's a rumble under the ground

http://www.mediafire.com/?c1innjmdjmn

Disc 2 - Part 2
1. The fugitive king
2. But the marquis of Boulli has a trump card up his sleeve
3. To take your hat off
4. The echoes never fade from that fusillade
5. The commune de Paris
6. Vive la commune de Paris
7. The national assembly is confused
8. The execution of Louis Capet
9. Adieu Louis for you it's over
10. Marie Antoinette - The last night on earth
11. Adieu my good and tender sister
12. Liberty
13. And in the bushes where they survive

http://www.mediafire.com/?5ygnqnzmtl0

segunda-feira, 23 de abril de 2007

QUEM TEM MEDO DO LOBÃO MAU?

Lobão nasceu no Rio de Janeiro, em 1957, de nome João Luís Woerdenbag Filho. Fugiu de casa aos 17 anos, e participou de uma peça de teatro, e depois formou uma banda de rock progressivo, o Vímana, que significa disco voador em sânscrito, e tinha os integrantes, Lulu Santos, na guitarra, Fernando Gama, no baixo, Luiz Simas nos teclados e Ritchie na flauta e vocais, o próprio Lobão tocava bateria.

A banda gravou um compacto, e uma compilação que traz a banda em momentos ao vivo, e em participações em discos de Luiza Maria, Fagner e no espetáculo teatral, Feiticeira, de Marília Pêra. A banda acabou após lançarem estes discos, e hoje em dia seus integrantes costumam dizer que o que faziam na época não passava de masturbação musical. A banda acabou após ensaiar como banda de apoio do tecladista do Yes, Patrick Moraz.

Após o fim do Vímana, Lobão, formou a Blitz, ainda na bateria, com Fernanda Abreu e Evandro Mesquita nos vocais. Lobão saiu da banda antes de gravar o primeiro disco da banda que criara o nome, mas largou o posto de baterista porque foi contra o formato infanto-juvenil imposto pela gravadora e para se lançar em carreira solo. Lulu Santos também teve uma carreira solo muito bem sucedida. Ritchie, que antes havia participado da banda progressiva de Jaques Morelembaum, a Barca do Sol, na qual tocava flauta, nos anos 80, criou grandes clássicos como Menina veneno. Fernando Gama tocou baixo na última formação dos Mutantes e depois integrou o Boca Livre. Luiz Simas, quase abandonou a música, mas iniciou uma carreira instrumental elogiada nos Estados Unidos.

O primeiro disco solo de Lobão é Cena de Cinema, e o último foi lançado neste ano, quando o artista lançou o Acústico MTV. Nos anos 80, após grandes sucessos de público e crítica, Lobão aproximou-se do samba, criando uma mistura de samba com rock, que não foi bem aceita na época. Lobão foi aparecendo cada vez menos na mídia, por causa de suas declarações bombásticas e metralhadora giratória, que não poupava ninguém.

Os desafetos somavam-se muito mais do que os apreciadores de sua música. Lobão criticava todo mundo no meio musical, e chegou a criar polêmica, inclusive, com Caetano Veloso, para quem criou uma canção, Mano Caetano, na qual não se sabe se Lobão elogia e se desculpa, ou se agride mais ainda o cantor baiano.

Nos anos 90, Lobão capitaneou uma campanha contra as gravadoras e lançou um disco completamente independente, A Vida é Doce, vendido apenas em bancas de jornal, e com numeração, que era uma de suas reivindicações às gravadoras.

Atualmente, Lobão , é o chefão da Revista Outracoisa, que lança artistas no cenário musical. Entre os lançamentos da revista editada por Lobão, estão Arnaldo Baptista, a banda Cachorro Grande e B. Negão.

Neste ano Lobão se rendeu à gravação do Acústico MTV, dando um tempo em sua briga contra as gravadoras.

1977 Zebra (Vímana)

1. Zebra
2. Masquerade

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1977 On the Rocks (Vímana)

1. Perguntas (Ao vivo no MAM)
2. Masquerade (Ao vivo no MAM)
3. On the rocks (Ao vivo no MAM)
4. Cada vez (Ao vivo no MAM)
5. Zebra (Estúdio)
6. Maya (Com Luiza Maria*)
7. Lindo Blue (Com Walter Franco, Sergio Dias e Arnaldo Baptista**)
8. Masquerade (Estúdio)
9. Avô do Jabor (Com Marília Pêra***)
10. Perguntas (Ao vivo no Hollywood Rock 75)
11. Riacho do navio (Com Fagner****)
12. Antonio Conselheiro (Com Fagner****)

Baixe aqui pelo Eu Ovo

* No disco Eu Queria ser um Anjo
** No disco Respire Fundo
*** Na peça teatral Feiticeira
**** No disco Ave Noturna

1983 Cena de Cinema

1. Cena de cinema
2. Amor de retrovisor
3. Love pras dez
4. O homem baile
5. Doce da vida
6. Stopim
7. Squizotérica
8. Sem chance
9. Scaramuça
10. Robô roboa

Baixe aqui pelo Eu Ovo

2007 Acústico MTV

1. El Desdichado
2. Essa noite não
3. Decadence avec elegance
4. Bambino
5. Eu vou te levar
6. Quente
7. Por tudo que for
8. Noite e dia
9. Me chama
10. Você e a noite escura
11. A queda
12. A vida é doce
13. Pra onde você vai
14. O mistério
15. Canos silenciosos
16. Corações psicodélicos
17. A gente vai se amar

segunda-feira, 16 de abril de 2007

AQUALUNG MY FRIEND

Jethro Tull é o nome do fazendeiro que inventou a semeadeira, porém, o nome ficou mais conhecido intitulando uma das maiores bandas de rock dos anos 70.

O Jethro Tull foi formado por Ian Anderson, que foi o primeiro a incluir flautas numa roupagem rockeira, mas Ian também toca gaita, bandolim, violão, guitarra, baixo e sintetizadores.

No final dos anos 60, a banda dividia as composições entre Anderson e Mick Abrahams, e lançaram o primeiro álbum intitulado This Was, também conhecido como o disco dos cachorros na capa. Depois do lançamento, Abrahams saiu da banda e formou o cultuado, porém desconhecido, Blodwyn Pig.

A banda continuou com o guitarrista Martin Barre, não antes sem fazer um show com Toni Iommi, o guitarrista do Black Sabbath, nas palhetadas, durante o show Rock and Roll Circus, promovido pelos Rolling Stones. Martin Barre permanece como o guitarrista do Jethro Tull até os dias de hoje.

Após o segundo álbum, Stand Up, a banda passou a contar com um tecladista e logo lançou Benefit, seguido pelos clássicos, Aqualung e Thick as a Brick, passando por diversas formações, mas sempre mantendo a dupla Anderson e Barre.

Outro que sempre esteve presente desde os primeiros álbuns da banda, e depois foi incorporado como membro, foi o arranjador e tecladista David Palmer. Palmer deixou de tocar com a banda nos anos 80, e recentemente fez uma operação de troca de sexo aos 66 anos. Agora o maestro prefere ser reconhecido como Dee Palmer.

Nos anos 80, o Jethro Tull flertou com o rock eletrônico, abusando de sintetizadores e programações. Neste período, Ian Anderson precisou se afastar do meio musical para recuperar de um desgaste nas cordas vocais, e iniciou uma bem sucedida criação de salmão. Atualmente, Anderson é o maior exportador de salmão da Europa.

A partir do final dos anos 80 e do restante da década de 90, o Jethro Tull voltou à atividade, se aproximando do estilo de música que ajudara a criar.

Neste mês de abril, o Jethro Tull se apresenta no Brasil, no Rio de Janeiro dia 21, Porto Alegre dia 23, Curitiba dia 25, Belo Horizonte dia 26 e São Paulo dia 28.

A formação atual da banda são, Ian Anderson nos vocais e flauta, Martin Barre na guitarra, Andrew Giddings nos teclados, David Goodier e Jonathan Noyce nos baixos, Kit Morgan também na guitarra, John O'Hara como maestro e no piano, Doane Perry e James Duncan nas baterias e percussões e Ann Marie Calhoun e Anna Phoebe nos violinos.

Com tantos álbuns na discografia, eu selecionei alguns registros da banda ao vivo, em diferentes ocasiões. As sessões na BBC de Londres no final dos anos 60, o festival de Isle of Wight no início dos anos 70, Bursting Out, no final desta mesma década, nos anos 80 o disco com a Orquestra Sinfônica de Londres, o acústico A Little Light Music, e o In Concert, ambos dos anos 90, e o evento beneficiente para os desabrigados, Aqualung Live de 2005.

Não há como rotular o Jethro, alguns chamam de rock progressivo, outros preferem folk rock, entretanto em 1989 a banda arrebatou o prêmio Grammy de melhor banda de heavy metal, ganhando do favorito no ano, o Metallica.

O prêmio foi particularmente controverso pois muitos não consideram o Jethro Tull como uma banda de rock pesado, muito menos de heavy metal. O fato criou tanta polêmica que depois disso, e talvez por culpa disso, nos anos seguintes prêmios separados seriam entregues aos melhores do rock pesado e do heavy metal.

Em resposta às críticas pelo prêmio, a banda publicou um anúncio em um periódico musical britânico com a frase, “A flauta 'É' um instrumento de metal pesado!”.


1970 BBC Sessions

1. So much trouble
2. Intro A song for Jeffrey
3. A song for Jeffrey
4. Intro My sunday feeling
5. My sunday feeling
6. Dharma for one
7. Intro Beggar’s farm
8. Beggar’s farm
9. Intro Love story
10. Love story
11. Stormy Monday blues
12. Intro Living in the past
13. Living in the past
14. Intro A new day yesterday
15. A new day yesterday
16. Intro fat man
17. Fat man
18. Bouree
19. Intro Nothing is easy
20. Nothing is easy
21. Back to the family
22. A song for Jeffrey
23. My Sunday feeling
24. Beggar’s farm
25. A new day yesterday


1970 Nothing is Easy Live at Isle of Wight

1. My Sunday feeling
2. My god
3. With you there to help me
4. To cry you a song
5. Bouree
6. Dharma for one
7. Nothing is easy
8. We used to know for a thousand mothers


1978 Bursting Out

1. No lullaby
2. Skating away (On the thin ice of the new day)
3. Jack in the green
4. One brown mouse
5. A new day yesterday
6. Flute solo improvisation
7. Songs for the wood
8. Thick as a brick
9. Hunting girl
10. Too old to rock’n’roll too old to die
11. Ministrel in the gallery
12. Cross eyed Mary
13. Aqualung
14. Locomotive breath
15. The Dambusters march medley


1985 A Classic Case (& London Symphony Orchestra)

1. Locomotive breath
2. Thick as a brick
3. Elegy
4. Bouree
5. Fly by night
6. Aqualung
7. Too old to rock’n’roll too old to die
8. Medley
9. Living in the past
10. War child

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1992 A Little Light Music

1. Someday the sun
2. Living in the past
3. Life is a long song
4. Under wraps
5. Rocks on the road
6. Nursie
7. Too old to rock’n’roll too old to die
8. One white duck
9. A new day yesterday
10. John Barleycorn
11. Look into the sun
12. A christmas song
13. From a dead beat to an old grease
14. This is not love
15. Bouree
16. Pussy willow
17. Locomotive breath


1995 In Concert

1. Ministrel in the gallery, Cross eyed Mary
2. This is not love
3. Rocks on the road
4. Heavy horses
5. Tall this girl
6. Still loving you
7. Thick as a brick
8. A new day yesterday
9. Blues jam
10. Jump start


2005 Aqualung Live

1. Aqualung
2. Cross eyed Mary
3. Cheap day return
4. Mother goose
5. Wond'ring aloud
6. Up to me
7. My god
8. Hymn 43
9. Slipstream
10. Locomotive breath
11. Wind-up
12. Riffs-another monkey
13. Recording the original
14. Choosing my words with care
15. Hummmmmm 43
16. A different kettle of very different fish
17. But is it any good

Baixe aqui a parte 1 pelo Eu Ovo

segunda-feira, 9 de abril de 2007

PARE DE TOMAR A PÍLULA [PSICODÉLICA]

Aproveitando a semana santa que passou, este disco do cantor brega, Odair José, que nasceu no interior de Goiás, mas foi no Rio de Janeiro, que iniciou sua carreira musical, cantando em boates e inferninhos nos subúrbios da cidade fluminense.

No início da década de 70, Odair José começou a compor suas próprias canções, baseadas na vida que observada nos inferninhos cariocas. Seu primeiro sucesso, “Eu vou tirar você deste lugar”, marcou sua estréia no gênero ‘popularesco’, vulgarmente chamado de brega. A canção contava a história de um homem apaixonado por uma prostituta. Outros sucessos de sua carreira foram “Pare de tomar a pílula” e “Cadê você”.

Além de ter sido censurado na época, com a música “Pare de tomar a pílula”, o estilo de falar abertamente de sexo nas canções, levou Odair José a ser excomungado pela igreja católica, por uma composição que falava de amor e pregava que não era preciso estar casado no papel.

Após o incidente, Odair José resolveu lançar o disco “O filho de José e Maria”, e todo mundo disse que ele havia ficado maluco. Ele escreveu várias canções que falavam de cada fase da pessoa, “a primeira é quando a pessoa nasce e vai até a última que é quando o cara morre”, declarou José.

O disco ficou conhecido como uma ópera-rock, ou também como o álbum progressivo de Odair José. A igreja não gostou, porque achavam que o disco falava de Jesus Cristo, e também tinha uma música que o contava a história de um homem que ficava doidão e outra que ele não sabia se é bicha ou macho.

Era um disco pra ser tocado em teatro, e não para tocar num clube, ou nos inferninhos onde os espectadores ouviam o show enchendo a cara de cachaça. Esse disco não foi vitorioso comercialmente, mas foi um disco muito bem feito.

A inspiração para este álbum partiu dos livros do escritor Kalil Gibran, com “O Profeta”, e a vontade de montar uma banda de garagem com um som cru e rasgado, bem rock’n’roll.

Recentemente, uma homenagem a Odair José, foi lançada por Paulo Miklos, dos Titãs. O disco tributo contou com a participação de artistas como o próprio Miklos, Pato Fu, Mobojó, Zeca Baleiro, Mundo Livre S/A e Los Pirata, e recebeu o título do primeiro sucesso de Odair José.

1979 O Filho de José e Maria

1. Nuca mais
2. Não me venda grilos (por direito)
3. Só pra mim, pra mais ninguém
4. É assim
5. Fora da realidade
6. O casamento
7. O filho de José e Maria
8. O sonho terminou
9. De volta às verdadeiras origens
10. Que loucura

http://www.4shared.com/file/13755178/edba34e/1979_O_Filho_de_Jos_e_Maria.html

segunda-feira, 2 de abril de 2007

EU QUERO MOCOTÓ

O Trio Mocotó nasceu em São Paulo no ano de 1968, formado por Nereu Gargalo, João Parahyba e Fritz Escovão. O trio tocava na boate Jogral nas noites paulistanas, e tirou o nome do grupo das coxas das mulatas de mini-saia, que recebiam o apelido carinhoso de mocotó.

Na boate Jogral, o trio acompanhou músicos como Nelson Cavaquinho, Clementina de Jesus, Cartola, e artistas internacionais como Duke Ellington, Oscar Peterson e Earl Hines. João Parahyba tocava bateria com timba, o que deu origem à timbatera, que anos mais tarde o próprio Parahyba, viria a difundir. Nereu Gargalo tocava pandeiro, enquanto Fritz Escovão tocava cuíca.
O já batizado Trio Mocotó, gravou com Jorge Ben, no ano de 1969 e em 1970, o disco Força Bruta. Em 1971, o grupo lançou um disco ao vivo no Japão, com Jorge Ben, seguido por um disco com Vinícius de Moraes, Toquinho e Marília Medalha, intitulado Encontro.

No mesmo ano, o trio lançou o primeiro disco solo, Muita Zorra. Em 1973, depois de muitos shows, o trio lançou o segundo disco solo, com arranjos do maestro tropicalista Rogério Duprat. Em 1975, foi a vez do disco histórico, lançado especialmente na Itália e oficialmente no Brasil apenas em 1985.

Em 2002, o trio retomou atividades, com João Parahyba, Nereu Gargalo e Fritz Escovão, num disco intitulado Samba Rock, com produção de Beco Dranoff, que já produzira o disco Tanto Tempo de Bebel Gilberto.

No final daquele ano, Fritz Escovão deixa o grupo e é substituído por Scowa, produtor e multi-instrumentista. Completam a formação do Trio Mocotó, Giba Pinto no baixo, Rogério Rochilitz nos teclados e programações, Janja Gomes no violão e Vitor São José na percussão. O disco Beleza! Beleza! Beleza! foi lançado em 2004.

1969 Jorge Ben

1. Criola
2. Domingas
3. Cadê Tereza
4. Barbarela
5. País tropical
6. Take it easy my brother Charles
7. Descobri que sou um anjo
8. Bebete vãobora
9. Quem foi que roubou a soupeira de porcelana chinesa
10. Que pena
11. Charles anjo 45

Baixe aqui pelo Eu Ovo

1970 Força Bruta

1. Oba lá vem ela
2. Zé Canjica
3. Domenia domingava num domingo linda toda de branco
4. Charles Jr.
5. Pulo pulo
6. Apareceu Aparecida
7. O telefone tocou novamente
8. Mulher brasileira
9. Terezinha
10. Força bruta

http://www.4shared.com/file/13201898/88c63cdb/1970_Fora_Bruta_Part_1.html
http://www.4shared.com/file/13202331/15152cfa/1970_Fora_Bruta_Part_2.html

1971 Como Dizia o Poeta Vinícius de Moraes Marilia Medalha & Toquinho

1. Tarde em Itapoá
2. Como dizia o poeta
3. Tomara
4. Valsa para o ausente
5. Samba de Gesse
6. A tonga da mironga do kabuletê
7. A benção Bahia
8. Mais um adeus
9. A vez do dombe
10. O grande apelo
11. Samba da rosa
12. Melancia e côco verde

http://www.4shared.com/file/13202784/8182a962/1971_Como_Dizia_o_Poeta.html

1971 Muita Zorra

1. Meu país
2. Xamego de Iná
3. O criolauta
4. O sorriso de Narinha
5. Esperança
6. Maria Domingas
7. Nagô
8. Só quero
9. O canto da ema
10. Aleluia aleluia
11. Coqueiro verde

http://www.4shared.com/file/13203169/dd81e386/1971_Muita_Zorra.html

1972 Jorge Ben & Trio Mocotó Ao Vivo no Japão

1. Mas que nada
2. Charles Jr.
3. Que pena
4. Take it easy my brother Charles
5. Domenica domingava num domingo linda toda de branco
6. Apresentação
7. Oba lá vem ela
8. Zazueira
9. Chove chuva
10. Quem foi que roubou a soupeira de porcelana chinesa
11. Cadê Tereza
12. Pandeiro zabumba batucada
13. Pulo pulo
14. Hino do Flamengo, País tropical
15. Banana bananeiro
16. Tá na hora
17. Domingas
18. Cidade maravilhosa, Hino do Flamengo

http://www.4shared.com/file/13196167/86632e6c/1972_Ao_Vivo_no_Japo_Part_1.html
http://www.4shared.com/file/13197127/5ab38c0d/1972_Ao_Vivo_no_Japo_Part_2.html
http://www.4shared.com/file/13197743/f099320/1972_Ao_Vivo_no_Japo_Part_3.html
http://www.4shared.com/file/13199127/ba6cfb3e/1972_Ao_Vivo_no_Japo_Part_4.html
http://www.4shared.com/file/13199805/6985c31f/1972_Ao_Vivo_no_Japo_Part_5.html

1973 Trio Mocotó

1. Desapareça
2. Nó na garganta
3. Vem cá
4. Recordar
5. Não vá embora
6. Desculpe
7. Maior é Deus
8. Samba da preguiça
9. Palomares
10. Swinga sambaby
11. To por fora da jogada
12. Gotas de chuva na minha cuíca

http://www.4shared.com/file/13214049/4ec2fa3a/1973_Trio_Mocot_Part_1.html
http://www.4shared.com/file/13214904/5bce780c/1973_Trio_Mocot_Part_2.html

1975 Trio Mocotó - Edição Histórica

1. Não adianta
2. O meu violão
3. A rosa
4. Xuxu melão
5. Doca
6. Toda tarde
7. Sossega malandro
8. Dilê
9. Onde anda você
10. Que nega é essa

http://www.4shared.com/file/13217696/7deb4aba/1975_Trio_Mocot_Part_1.html
http://www.4shared.com/file/13219896/97aa1083/1975_Trio_Mocot_Part_2.html

2002 Samba Rock

1. Não sei porque
2. Voltei amor
3. Kriola
4. Alegria contida
5. Nereu Nereu
6. Tudo bem
7. Swinga sambaby
8. Águas de março
9. Mocotó beat
10. Pensando nela
11. Adelita
12. Cyrano
13. Kibe cru
14. Os orixás
15. Fui

http://www.4shared.com/file/13220797/d1595272/2002_Samba_Rock_Part_1.html
http://www.4shared.com/file/13221699/8f9f7227/2002_Samba_Rock_Part_2.html

2004 Beleza! Beleza! Beleza!

1. Beleza beleza beleza
2. Onde anda o meu amor
3. Coqueiro verde
4. Olha eu aí
5. De hoje não passa
6. Pura beleza
7. Replay (O meu time é a alegria da cidade)
8. Lírio para Xangô
9. Ziriguidum
10. Chiclete com banana
11. Dingue li bangüê
12. Marinella
13. Eu também quero mocotó
14. Capcaloei

http://www.4shared.com/file/38853528/e0ba4159/2004_Beleza_Beleza_Beleza.html