domingo, 15 de janeiro de 2012

YOU DON’T KNOW ME AT ALL, DISSE CÍCERO

‘Canções de Apartamento’, álbum de estréia do carioca Cícero, despontou como um dos grandes lançamentos da nova safra de boa música contemporânea.

Surgiu devagar no “mouse-a-mouse” pela internet, via facebook, e foi crescendo como um gigante e fazendo a cabeça de muitos ouvintes. Esteve presente na lista de melhores do ano desse blogui, mas mereceu uma resenha mais específica (assim como outros também vão receber ainda...).

O disco apresenta canções intimistas que começam melancólicas, tipo um ‘Beirut’ meio samba, para terminarem em clímax tipo indie meio ‘Radiohead’, com letras singelas de reflexões diárias dentro de um apartamento.

Destaque para a faixa de abertura ‘Tempo de pipa’, que virou clipe numa viagem em plano sequência no bondinho de Santa Teresa, ‘Vagalumes cegos’, ‘Cecília & os balões’, ‘Ensaio sobre ela’, além de ‘João & o pé de feijão’, que brinca de discutir Caetano, através da música incidental de ‘You don’t know me’ – “you don’t know me, at all”.

O disco tem participação de Bruno Schulz no acordeon e piano em ‘Eu não tenho um barco, disse a árvore’e Paulo Marinho na bateria. Além de cantar, Cícero toca violão, piano, baixo, guitarra, pandeiro e tamborim.



2011 Canções de Apartamento

1. Tempo de pipa
2. Vagalumes cegos
3. Cecília & os balões
4. João & o pé de feijão
5. Ensaio sobre ela
6. Açúcar ou adoçante?
7. Eu não tenho um barco, disse a árvore
8. Laiá laia
9. Pelo interfone
10. Ponto cego

4 comentários:

Srta. Tuppence Crowley disse...

Olá! Tem como vc reativar esse link do Macalé, por favor?

http://euovo.blogspot.com/2006/07/jards-macal-so-morto-burning-night.html

muito obrigada!
abs
Marianna

Ana Luiza Neves disse...

Queer saber as novidades do mundo da musica?? acesse
strongersound.blogspot.com

Edson d'Aquino disse...

Bem simpática a proposta do Cícero mas bom mesmo foi ver a delícia de um dos bairros mais gostosos do meu querido Hell de Janeura, Santa Tereza. Conheço cada esquina, cada buraco desse bairro que, por ser muito próximo a meu bairro de origem (Laranjeiras), frequentei compulsivamente até os 30 anos. Já tem us 5 anos que não apareço por lá, a última foi pra tentar comprar um apê mas estava proibitivo.
E esse pitéuzinho com seu ar blasé me deixou de cabeleira também, hehehe.
[]ões

carol disse...

este disco é uma grata surpresa para o Brasil!